00:37 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    7210
    Nos siga no

    O salário mínimo do trabalhador brasileiro deveria ser de R$ 4.673,06, mas foi ao longo das décadas perdendo poder de compra para compensar a inflação, afirma economista ouvida pela Sputnik Brasil.

    De acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), em abril de 2020 o salário mínimo deveria ser 4,29 vezes os atuais R$ 1.045. A cifra é calculada com o levantamento do custo de uma cesta básica em 17 diferentes capitais brasileiras e o custo estimado de itens como transporte, educação e lazer. 

    A economista e supervisora de pesquisas do Dieese Patrícia Costa afirma que o "objetivo inicial" do salário mínimo, criado em 1938 pelo então presidente Getúlio Vargas por meio do decreto Nº 399, era garantir "vida de qualidade". Costa ressalta que o decreto segue em vigor, mas o salário mínimo foi ao longo das décadas perdendo poder de compra, ou seja, a capacidade de ser transformado em bens e serviços. 

    "O salário mínimo é quatro vezes menor que o salário mínimo necessário porque ele foi perdendo o seu objetivo inicial que era de garantir para o trabalhador e sua família a possibilidade de ter um acesso a uma alimentação de qualidade, pagar suas contas da casa, ter acesso à educação, ao transporte, lazer e saúde. Ao longo da história, ele passou a ser usado como um instrumento de contenção da inflação. Então quando a inflação era muito alta, o reajuste do salário mínimo era menor que essa inflação", avalia Costa.

    Ainda de acordo com a economista do Dieese, o Brasil conseguiu por meio de aumentos acima da inflação no salário mínimo na década de 2000 diminuir a desigualdade no país e isso demonstra "a importância do salário mínimo". Com o aumento dos vencimentos mínimos acima da inflação, diz Costa, é criada uma "espiral positiva" de renda, consumo e produção na economia

    Contudo, a economista afirma que houve a decisão de reverter a "política de valorização" do salário mínimo e isso acarretou no "aumento da desigualdade e o empobrecimentos dos trabalhadores e dos aposentados".

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Desemprego nos EUA pode atingir níveis da crise de 1929, diz funcionário da Casa Branca
    Coronavírus ameaça deixar 25 milhões de trabalhadores da aviação desempregados
    EUA registram maior taxa de desemprego desde Grande Depressão
    Secretário do Tesouro dos EUA afirma que desemprego deve piorar
    Pandemia pode deixar até 12,6 milhões de desempregados no Brasil, diz estudo
    Tags:
    renda, pesquisa, Dieese
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar