11:17 26 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    237
    Nos siga no

    Os recursos da Lua são semelhantes aos da Terra e, quando se esgotarem em nosso planeta, o acesso aos do satélite terá um papel estratégico, afirma cientista russo.

    Em 6 de abril, o presidente norte-americano Donald Trump assinou uma ordem executiva para explorar comercialmente os recursos da Lua e de outros corpos celestes. O documento deixa claro que Washington não considera o espaço como um bem comum global.

    "À medida que avançam as tecnologias, os elementos raros terão uma maior demanda, por isso no futuro o acesso dos países aos recursos da Lua será estratégico", disse à Sputnik Igor Mitrofanov, responsável pela área de Planetologia do Instituto de Pesquisas Espaciais da Rússia.

    O pesquisador indicou que a Terra e a Lua têm a mesma origem, portanto, todos os elementos raros que existem em nosso planeta também devem estar presentes na Lua.

    No século XXI, disse, a Lua será objeto de estudo e exploração. Os Estados Unidos começam um ambicioso programa lunar e a China realiza com êxito projetos cada vez mais complicados na Lua.

    "Ao examinar hoje o sentido prático da assimilação da Lua, deveremos pensar na possibilidade de realizar livremente nosso programa lunar amanhã. Devemos desenvolver sistemas espaciais para alcançar no futuro nossos objetos cruciais na Lua", referiu.

    A Rússia planeja voltar à Lua em 2021 com o lançamento de uma nave que pousará no polo sul do satélite.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Radar Cerca Espacial está pronto para entrar em serviço, diz Força Espacial dos EUA
    Cosmonauta russo mostra FOTO da Lua 'se dissolvendo' no céu
    Força Espacial dos EUA recebe 1º sistema de armamento ofensivo (FOTO)
    Tags:
    Donald Trump, Terra, exploração espacial, Estados Unidos, Rússia, Lua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar