19:33 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, durante cerimônia da transmissão de cargo ao secretário-geral das Relações Exteriores, Otávio Brandelli, no Palácio Itamaraty (arquivo)

    'Falta visão estratégica', diz analista sobre Brasil considerar deixar Mercosul

    © Foto / Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Análise
    URL curta
    132113
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, não descarta a possibilidade de deixar o Mercosul por conta dos novos rumos do presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández.

    "Aparentemente há na Argentina uma visão profunda que vai contra os postulados básicos do Mercosul", disse o chanceler em entrevista ao jornal Valor Econômico. "Não podemos dizer que é um projeto inquestionável, que vai durar para sempre, aconteça o que acontecer. O Mercosul não é apenas um nome, uma bandeira hasteada. Se o projeto é desvirtuado, precisa ser repensado."

    Já no dia da eleição de Jair Bolsonaro, em 2018, Paulo Guedes afirmou que o Mercosul não era uma "prioridade". Araújo, contudo, afirma na entrevista ao Valor que o bloco "vinha dando certo com a Argentina do [presidente Mauricio Macri]". 

    O que mudou na relação entre as duas maiores economias da América do Sul foi a eleição do presidente Alberto Fernández. Na entrevista, Araújo contou estar preocupado com as posições de Paula Español, cotada para ocupar o cargo de Secretária de Comércio Exterior. 

    Bolsonaro fez torcida pela reeleição de Macri e disse que o Rio Grande do Sul poderia enfrentar uma fuga massiva de argentinos caso Fernández ganhasse. O novo presidente da Argentina, que toma posse em 10 de dezembro, já classificou Bolsonaro de "racista, misógino e violento".

    O presidente brasileiro quebrará uma tradição e não participará da posse de Fernández, mas será representado pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra. 

    Para o professor de Relações Internacionais da Universidade Presbiteriana Mackenzie Arnaldo Francisco Cardoso, a animosidade entre os dois líderes não é novidade, mas a recente fala de Araújo "ganha novos contornos" dada a proximidade da posse de Fernández. 

    "Nos últimos 16 anos, tivemos superávit no comércio com o Mercosul e com a Argentina, uma quebra nessas relações pode afetar, e já vem afetando, setores importantes da produção no Brasil", diz Cardoso à Sputnik Brasil.

    Ao contrário das relações comerciais que dominam as exportações brasileiras, os produtos mais vendidos do Brasil para a Argentina são itens manufaturados. Automóveis de passeio (20%), partes e peças de veículos e tratores (8%) e demais produtos manufaturados (5,4%) foram os itens que o Brasil mais vendeu para Buenos Aires de janeiro a outubro de 2019.

    O Mercosul é responsável por estabelecer tarifas comuns entre os países membros do bloco e uma saída do Brasil do bloco pode dificultar negociações comerciais. 

    Cardoso ressalta que o Mercosul já passou por outros momentos de tensão, mas que a resposta para a situação é fundamental: "A questão é como essa tensão pode ser encaminhada, se através da negociação ou do acirramento das divergências que pode culminar no rompimento desse relacionamento".

    Ainda de acordo com o professor do Mackenzie, outro ponto preocupante sobre uma possível saída do Brasil do Mercosul é que o acordo com a União Europeia poderia correr perigo. Para Cardoso, "falta visão estratégica" do Itamaraty.

    Um dos sintomas dessa falta de norte, diz Cardoso, é a agenda internacional de Bolsonaro: "Diversificar parceiros comerciais no mundo é positivo, mas isso precisa estar inserido dentro de uma estratégia, não de uma ação descoordenada, como parece ser o caso".

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    'Funcionários fantasmas': MP abre novo inquérito contra Flávio Bolsonaro
    Bolsonaro diz que manifestações no Chile 'são atos terroristas'
    Bolsonaro prepara lei de uso de GLO em reintegração de posse no campo
    Invasão da embaixada: Venezuela diz que episódio é 'vergonha' para Itamaraty
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Alberto Fernández, Mercosul, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar