21:05 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Ferry norte-coreano Mangyongbong-92 no porto de Donghee, Coreia do Sul, 6 de fevereiro de 2018

    Como e por que Pyongyang poderia iniciar confronto armado com Seul?

    © REUTERS / Kim Hong-Ji
    Análise
    URL curta
    3614
    Nos siga no

    As relações entre as duas Coreias continuam tensas e esta situação, juntamente com a combinação de interdependência e concorrência entre EUA e China, leva os analistas a refletirem sobre a questão.

    Entre 1950 e 1953, as duas Coreias se envolveram em um confronto armado no qual Pyongyang teve o apoio da União Soviética e da China, enquanto Seul foi apoiada pelos EUA e seus aliados.

    Na opinião do analista Robert Farley, professor da Universidade de Kentucky (EUA), a "melhor esperança" de Pyongyang em condições de paz, em assuntos marítimos e segurança nacional, seria o colapso do sistema capitalista global.

    Já em uma situação de guerra, o seu sucesso dependeria de uma rápida derrota de Seul e da escala do apoio de Pequim para pôr fim à guerra o mais rapidamente possível e garantir lucros, explica o professor à revista norte-americana The National Interest.

    'Atingir a defesa'

    Para Farley, a possibilidade de intervenção de Pequim é bastante elevada, embora não devido à sua afinidade com a Coreia do Norte mas para impedir que os EUA ou o Japão reforcem a sua posição na região do Pacífico, uma vez que Tóquio é outro ator-chave que não poderia ficar fora da situação.

    O professor opina que, em caso de guerra, a Coreia do Norte optaria por "um ataque clássico com armas combinadas" como no século XX, ou seja, envolvendo todos os ramos das Forças Armadas.

    Segundo o especialista, Pyongyang usaria a artilharia para "atingir a defesa" de Seul, "enfraquecer suas posições e criar pânico entre a população", a infantaria para "criar brechas em suas fileiras", além de enviar tropas regulares na retaguarda sul-coreana "através de túneis" e recorrer a "forças especiais" que estariam na Coreia do Sul antes do início das hostilidades.

    Navio da marinha sul-coreana dispara míssil durante exercício no mar do Leste da Coreia do Sul
    © AP Photo / Ministério da Defesa da Coreia do Sul
    Navio da marinha sul-coreana dispara míssil durante exercício no mar do Leste da Coreia do Sul

    Como a Força Aérea norte-coreana tem "pouca capacidade", em comparação com os caças sul-coreanos, Pyongyang poderia compensar esta deficiência com os seus grandes arsenais de mísseis de cruzeiro de ataque ao solo e mísseis balísticos de curto alcance. Além disso, os norte-coreanos utilizariam submarinos para proteger seu litoral e atacar os principais portos e navios sul-coreanos.

    Capacidades insuficientes?

    Apesar de a Coreia do Norte ser um dos países mais militarizados do mundo, ainda assim é uma potência militar relativamente pequena em comparação com os EUA e a China, e a maioria dos analistas acredita que não tem capacidade suficiente para derrotar o Exército sul-coreano, sendo mais vantajoso para a Coreia do Norte preservar a paz.

    "No entanto, não podemos descartar que as circunstâncias políticas mudem de tal forma que a Coreia do Norte se desespere o suficiente para lançar um ataque ou imaginar que tem 'uma última grande oportunidade'", conclui Robert Farley.

    Teste de míssil

    A Coreia do Norte é um dos nove países do mundo que possuem armas nucleares e um dos quatro que não são parte do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP).

    Coreia do Norte lança míssil balístico de submarino (SLBM), 2 de outubro de 2019
    © REUTERS / Agência Central de Notícias da Coreia do Norte (KCNA)
    Coreia do Norte lança míssil balístico de submarino (SLBM), 2 de outubro de 2019

    No dia 2 de setembro, Pyongyang testou com sucesso um "novo tipo" de míssil balístico lançado de um submarino (SLBM), algo que levou os EUA a exigir que os norte-coreanos se "abstenham de provocações" e continuem empenhados nas negociações nucleares.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Coreia do Norte relata sucesso de teste de novo míssil lançado de submarino
    Mísseis lançados pela Coreia do Norte caem próximo ao Japão, informam autoridades
    Japão considera China mais perigosa que Coreia do Norte
    Coreia do Sul apresenta caças F-35A norte-americanos pela 1ª vez (FOTO)
    Tags:
    guerra, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar