14:03 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Apoiantes do presidente legítimo da Venezuela, Nicolás Maduro, se manifestam nas ruas de Caracas

    Cientista político: EUA estão perdendo controle sobre situação na Venezuela

    © Sputnik / Eva Marie Uzcategui
    Análise
    URL curta
    1190
    Nos siga no

    Na quarta-feira (17), os EUA impuseram novas sanções contra o Banco Central da Venezuela. Entretanto o cientista político Vladimir Shapovalov afirmou ao serviço russo da Rádio Sputnik que todas as sanções que os EUA poderiam ter adotado contra a Venezuela já foram adotadas.

    O presidente venezuelano Nicolás Maduro afirmou que as novas sanções introduzidas pelos EUA irão dar novas forças ao país.

    "As sanções são absolutamente imorais. Os bancos centrais são sagrados […]. Deixem-me dizer que as sanções nos dão ainda mais forças," disse por sua vez Maduro em declarações transmitidas pela televisão estatal.

    De acordo com as palavras do líder venezuelano, o Banco Central da Venezuela acabará por superar estas dificuldades.

    John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, anunciou em 17 de abril a introdução de novas sanções contra o Banco Central da Venezuela. As restrições também devem advertir países terceiros, incluindo a Rússia, contra qualquer desdobramento de forças militares na Venezuela destinadas a apoiar o presidente Nicolás Maduro, disse Bolton.

    O cientista político Vladimir Shapovalov, vice-diretor do Instituto de História e Política da Universidade Estatal de Pedagogia de Moscou, comentou a situação ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    Ele sublinhou que estas não são as primeiras sanções introduzidas contra a Venezuela. E que os EUA estão a pressionar Caracas de várias maneiras, inclusive usando a linguagem de ultimatos e ameaças.

    "Esta [medida] tem um caráter ostensivo, e por definição não pode ter efeitos sérios. Tudo o que os EUA podiam ter feito já fizeram, só falta uma intervenção militar direta. No entanto, durante a crise que já dura há 3 meses, o presidente nomeado pelos EUA não conseguiu tomar o controle do poder do país. Sendo assim, é óbvio que os EUA estão perdendo o controle sobre a situação na Venezuela, e demonstram sua incapacidade de organizar um golpe de Estado," disse Vladimir Shapovalov.

    Em 21 de janeiro começaram protestos massivos na Venezuela a favor e contra o atual presidente Nicolás Maduro. Após o início das manifestações, Juan Guaidó se declarou presidente interino. A Rússia, China e outras nações apoiam o presidente venezuelano legítimo.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Moscou: com novas sanções, EUA tentam mudar curso político de Cuba e Venezuela
    EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'
    Pentágono estaria criando opções para conter 'influência' da Rússia e China na Venezuela
    Tags:
    crise, sanções, John Bolton, EUA, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar