11:39 20 Abril 2018
Ouvir Rádio
    O líder norte-coreano Kim Jong Un fala durante um banquete em Pequim, China

    Opinião: 'Visita de Kim a Pequim confirma influência chinesa na Península Coreana'

    © REUTERS / CCTV
    Opinião
    URL curta
    750

    Comentando sobre a recente visita oficial feita por Kim Jong-un a Pequim, o analista político russo Aleksandr Lomanov disse à Sputnik que a viagem lembrou a todos que "as coisas não estão sendo feitas na Península coreana sem o aval da China".

    "Quando a China apoiou as sanções internacionais impostas contra a Coreia do Norte, alguns especialistas especularam que Pequim não mais considera Pyongyang como aliada. Agora, no entanto, as coisas são exatamente o oposto: a China continua sendo uma importante e respeitada potência [na região]", disse. 

    A Coreia do Norte, por outro lado, não guarda qualquer ressentimento público contra a China. "Kim Jong-un veio a Pequim, apertou a mão de Xi Jinping e discutiu planos futuros com ele, incluindo aparentemente as posições de ambos os países nas próximas cúpulas com a Coreia do Sul e os Estados Unidos", analisou Lomanov.

    Lu Chao, chefe do Centro de Estudos Norte-Coreanos e da República da Coreia na Academia de Ciências Sociais de Liaoning, ressaltou que, embora a visita de Kim pareça ter sido inesperada pela comunidade internacional, foi um movimento calculado.

    "Uma cúpula inter-coreana está programada para em abril e uma reunião de alto nível entre os EUA e a Coreia do Norte deverá ser realizada em maio. Antes desses eventos, a Coreia do Norte decidiu consultar seu vizinho sobre esses assuntos. É natural e é também a primeira visita ao exterior de Kim Jong-un desde que ele assumiu o poder; ele simplesmente seguiu o exemplo dos líderes norte-coreanos anteriores, que escolheram a China como seu primeiro destino estrangeiro ", explicou.

    Como assinalou Konstantin Asmolov, do Centro de Estudos Coreanos do Instituto de Estudos do Extremo Oriente, Kim Jong-un conseguiu mostrar ao mundo que é capaz de tomar decisões rápidas e calculadas.

    O líder norte-coreano Kim Jong-un visitou Pequim na terça-feira, 27 de março, chegando a bordo de um trem blindado especial em meio a fortes precauções de segurança para se reunir com seu colega chinês Xi Jinping. Durante um banquete realizado na capital chinesa, Kim afirmou que era seu "dever solene" fazer de Pequim seu primeiro destino no exterior e convidou Xi a fazer uma visita oficial a Pyongyang "em um momento conveniente" — um convite "aceito com prazer", publicou a agência de notícias oficial KCNA.

    Tags:
    KCNA, Centro de Estudos Coreanos do Instituto de Estudos do Extremo Oriente, Academia de Ciências Sociais de Liaoning, Centro de Estudos Norte-Coreanos e da República da Coreia, Aleksandr Lomanov, Xi Jinping, Konstantin Asmolov, Kim Jong-un, Coreia do Sul, Estados Unidos, Coreia do Norte, China, Pyongyang
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik