19:00 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Lançamento a partir do sistema Javelin, foto de arquivo

    EUA querem desestabilizar ao máximo situação nas fronteiras russas, diz cientista político

    CC0 / U.S. Army Europe / Saber Strike 2016
    Opinião
    URL curta
    939

    O Departamento de Estado dos EUA aprovou o envio de sistemas antitanque Javelin e sistemas de controle de lançamentos para a Geórgia com um custo total de 75 milhões de dólares (R$ 244,2 bilhões). A decisão final será tomada pelo Congresso.

    Segundo informações vindas da agência para a cooperação em segurança incorporada na estrutura do Pentágono, a Geórgia havia solicitado anteriormente 410 sistemas Javelin e 72 instalações de controle, o contrato pressupõe também a entrega, treinamento e manutenção.

    Tal venda, afirma a agência, contribuirá para a política externa e segurança nacional dos EUA por via do aumento da segurança da Geórgia. Acredita-se que os sistemas Javelin aumentarão a capacidade de defesa georgiana sem alterar o balanço das forças militares na região.

    Comentando o assunto para o serviço russo da Rádio Sputnik, o cientista político Aleksei Podberezkin opinou que os EUA tentam desestabilizar ao máximo a situação nas fronteiras da Rússia.

    "As entregas de armas americanas à Geórgia é algo natural para os EUA. Este passo cabe na sua estratégia de confrontação com a Rússia em todas as direções. Isso significa que tais fornecimentos, bem como as ações hostis em relação à Rússia, continuarão aumentando", frisou.

    No entanto, continuou, estas ações não são inesperadas. Ainda no governo de Mikheil Saakashvilli os EUA prepararam quatro brigadas para a ofensiva contra Ossétia do Sul.

    Esta atividade em áreas de conflito, além de serem ilegais e proibidas, também contradizem a lógica das relações internacionais.

    "Mas os EUA não querem relações normais. Eles incluem suas ações na estratégia de aumento da tensão ou confrontação com a Rússia. Os americanos querem desestabilizar ao máximo a situação nas fronteiras russas, e nisso podem ser ajudados pelos chamados países-satélites, como Geórgia ou Ucrânia", resumiu Podberezkin.

    Mais:

    OTAN diz que é cedo para Ucrânia e Geórgia entrarem na organização
    Geórgia implementará reformas para se tornar compatível com OTAN
    EUA reafirmam apoio à entrada da Geórgia na OTAN
    EUA enviam M1 Abrams à Geórgia para impressionar Rússia
    Tags:
    sistema antitanque, Javelin, Geórgia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik