13:47 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Míssil norte-coreano Hwasong-14

    Especialista indica zona dos EUA que pode ser alvo de um ataque norte-coreano

    © REUTERS / KCNA
    Análise
    URL curta
    2183
    Nos siga no

    O nível em que está o programa nuclear norte-coreano permite a Pyongyang efetuar um ataque contra o território dos EUA, contudo não se trata da parte continental do país mas apenas da ilha de Guam, disse na terça à Sputnik Konstantin Sivkov, presidente da Academia de Assuntos Geopolíticos, doutor em Ciências Militares.

    O especialista comentou a nota emitida pelo Exército da Coreia do Norte, de acordo com a qual  o governo do país asiático está considerando a possibilidade de um ataque com mísseis de médio e longo alcance Hwasong-12 contra a ilha de Guam, onde está localizada uma base militar dos EUA.

    "Esse comunicado é um aviso prévio aos EUA, no sentido de fazer com que os americanos parem de provocar a Coreia do Norte. Com certeza, Pyongyang está realmente pronto para realizar esse golpe caso Washington continue exercendo pressão sobre seu país", ressaltou Sivkov.

    De acordo com o especialista, a ilha de Guam pode sofrer um golpe nuclear pois atualmente não possui sistema de defesa antimíssil que seja capaz de interceptar os mísseis da classe  Hwasong-12.

    No entanto, é impossível  que a Coreia do Norte ataque a parte continental dos EUA – o míssil balístico intercontinental Hwasong-14 que está sendo testado não possui essas capacidades por enquanto.

    Programa nuclear da Coreia do Norte

    Apesar da pressão internacional, Pyongyang tem realizado ininterruptamente testes de mísseis de várias classes, inclusive dos que são capazes de carregar ogivas nucleares.

    Entre os últimos avanços do complexo militar-industrial norte-coreano estão os ensaios do míssil balístico intercontinental Hwasong-14. No final de julho Pyongyang anunciou ter feito o segundo teste bem-sucedido – o voo do míssil durou 47 minutos e 12 segundos, o alcance totalizou 998 km e a altitude máxima atingiu 3.724,9 km, de acordo com o comunicado norte-coreano.

    Todavia, segundo o Ministério da Defesa russo, o míssil teria alcançado apenas uma altitude de 681 km e percorrido 732 km.

    Um outro especialista, o editor-chefe da revista militar Arsenal Otechestva, Viktor Murakhovsky havia dito mais cedo em entrevista à Sputnik que a Coreia do Norte ainda está atrasada na produção de combustível sólido para os mísseis balísticos intercontinentais. Portanto, em vez de possuir um alcance de 11 mil km, é pouco provável que o Hwasong-14 possa atingir um alvo a mais de 6 mil km de distância, concluiu.

    A opinião do especialista pode não necessariamente coincidir com a da redação da Sputnik

    Mais:

    Senadora americana ataca Trump por suas ameaças à Coreia do Norte
    Senador McCain sobre ameaças de Trump à Coreia do Norte: está sempre exagerando tudo
    Tags:
    Hwasong-14, Hwasong-12, teste nuclear, Exército Popular da Coreia do Norte, Viktor Marakhovsky, Konstantin Sivkov, Guam, EUA, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar