14:38 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Argentina, Mauricio Macri (arquivo)

    Opinião: Com legitimidade, Macri supera Temer no cenário internacional

    © REUTERS / Andres Stapff
    Análise
    URL curta
    761
    Nos siga no

    Cada vez mais reconhecido pela comunidade internacional e pronto para assumir a Presidência do G20 em 2018, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, vai afirmando sua projeção mundial. No recente encontro do G20 em Hamburgo, Macri se viu rodeado das maiores atenções, o que acabou gerando comparações com o colega brasileiro Michel Temer.

    Mauricio Macri recebeu Barack Obama, François Hollande, Justin Trudeau e Angela Merkel. E foi recebido pelos reis da Espanha e da Holanda, e por Donald Trump na Casa Branca. Além disso, esteve com chefes de Governo e de Estado do Japão, da China e da Itália, e por duas vezes encontrou o Papa Francisco. Já Michel Temer foi ao G20 na China, à cúpula dos BRICS, na Índia, e à Assembleia Geral da ONU, em Nova York, e fez visitas oficiais a Argentina, Paraguai, Japão, Rússia (onde se reuniu com Vladimir Putin) e Noruega.

    Para o argentino Eduardo Crespo, professor de Economia Política Internacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Macri pode estar se afirmando como nova liderança regional nas Américas, mas, para atingir uma posição mais elevada, terá de recompor, inicialmente, o cenário do seu próprio país:

    "Primeiro, o Presidente Mauricio Macri terá de resolver os muitos problemas internos da Argentina para só depois pensar em sua projeção internacional. Pelo menos, é essa a minha perspectiva. A economia argentina, já no ano passado, no primeiro ano de Governo Macri, enfrentou recessão, e este ano terá uma muito leve recuperação. Está difícil também imaginar que a coalizão liderada por Macri vá ganhar as eleições legislativas de outubro. Quase todos os indicadores econômicos da Argentina têm piorado nos últimos anos, principalmente no último ano. Então, eu sou levado a acreditar que a primeira tarefa de Mauricio Macri seja enfrentar, com grande empenho, os graves problemas internos da Argentina."

    No entanto, na opinião do Professor Crespo, no que tange ao comparativo com o presidente brasileiro Michel Temer, Mauricio Macri está em vantagem.

    "Na comparação com Michel Temer, é certo que Mauricio Macri tem sobressaído", afirma Crespo. "Ele tem encontrado muita receptividade pelo mundo. Esteve com dois presidentes dos Estados Unidos (Barack Obama e Donald Trump), e tantos outros líderes. Reafirmo, porém, que no terreno econômico Macri ainda tem muito a fazer pela Argentina, que enfrenta graves problemas, como redução da atividade produtiva e desemprego em grande escala. Então, para exercer uma liderança, é preciso oferecer alguma coisa de substancial ao mundo."

    O economista político da UFRJ acrescenta: "Agora, na comparação com o Brasil, pelo menos no terreno diplomático, é óbvio que Macri está em vantagem sobre Temer. O argentino tem legitimidade, pois venceu eleições, e do ponto de vista político está diante de um cenário completamente diverso do brasileiro. Para efeitos diplomáticos, Macri está bem à frente de Temer."

    Para a imprensa internacional, não há dúvida de que Macri trilha um caminho diverso do de Temer. Ao optar, por exemplo, por comparecer à posse de Lenin Moreno, sucessor de Rafael Correa na Presidência do Equador, Macri demonstrou publicamente que as relações internacionais estão acima de quaisquer divergências ideológicas. E, ao se oferecer para intermediar o impasse entre o presidente dos Estados Unidos e o do México, em torno da pretendida construção de um muro divisório na fronteira dos dois países, Macri procura despontar como possível canal de diálogo para superar impasses entre Donald Trump e Enrique Peña Nieto.

    Mas, ainda na visão de Eduardo Crespo, um fator que considera fundamental marca a diferença entre os presidentes do Brasil e da Argentina: "Mauricio Macri tem legitimidade."

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Maioria dos argentinos considera a gestão de Macri negativa ou muito negativa
    Justiça argentina pede investigação contra o presidente Mauricio Macri
    Encontro entre Temer e Macri foi só jogo para arquibancada
    FMI elogia Argentina um dia após divulgação de altos índices de pobreza no país
    Tags:
    G20, UFRJ, Michel Temer, Mauricio Macri, Eduardo Crespo, Brasil, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar