10:46 18 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    25583
    Nos siga no

    A derrubada do presidente da Síria, Bashar Assad, se tornou irreal para os EUA depois que a Rússia iniciou sua operação militar naquele país, garante o professor de ciência política da Universidade de Chicago, John J. Mearsheimer.

    "Os EUA foram um jogador-chave que alimentou a guerra na Síria desde o início, mas a intervenção da Rússia na Síria, em setembro 2015, significou o fim deste jogo para Washginton (…) Agora, para os EUA, é praticamente irreal derrubar Asad" – disse Mearsheimer.

    O especialistas destacou que, diferente do Iraque e do Afeganistão, os EUA não enviaram seus militares à Síria, mas, ao invés disso, forneceram armas e financiaram forças opositoras ao presidente Assad.

    Na opinião do professor, a possibilidade de uma confrontação militar direta entre a Rússia e os EUA na Síria existe, mas "ninguém quer admitir isso".

    A Síria vive uma terrível guerra civil desde 2011. Em 30 de setembro de 2015, atendendo a um pedido do presidente Bashar Assad, a Rússia enviou sua Força Aeroespacial para ajudar exércitos de Damasco no combate a grupos extremistas como Daesh e Frente al-Nusra.

    A presença militar russa teve um grande papel na libertação de muitas regiões sírias da ocupação jihadista e, meses depois, Moscou acabou retirando a maior parte de suas forças do país árabe.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tags:
    derrubada, John J. Mearsheimer, Bashar Assad, Síria, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar