19:42 15 Junho 2019
Ouvir Rádio
    An Eikon ship-tracking screen shows tanker traffic around Qatar over the last seven days in this June 6, 2017

    Após dois anos, embaixada do Qatar no Irã retoma suas atividades

    © REUTERS / Thomas White/Illustration
    Notícias
    URL curta
    0 60

    O embaixador do Qatar no Irã, Ali bin Hamad Al Sulaiti, retomou suas atividades em Teerã após um hiato de quase dois anos, informou a mídia iraniana neste sábado (26).

    O diplomata foi chamado de volta do Irã após multidões atacarem a embaixada do Qatar e da Arábia Saudita em resposta à execução de execução de um clérigo xiita na Arábia Saudita, em janeiro de 2016.

    Na quinta-feira, o Ministério das Relações Exteriores do Qatar anunciou que as relações diplomáticas com o Irã seriam retomadas e que Ali bin Hamad Al Sulaiti voltaria ao seu cargo. O anúncio ocorreu pouco depois de conversa telefônica entre os chanceleres de Irã e Qatar sobre as relações bilaterais entre os dois países. A decisão foi condenanda pelo ministro das Relações Exterior dos Emirados Árabes Unidos. 

    No início de junho, Bahrein, Egito, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos anunciaram a ruptura de suas relações diplomáticas e o fechamento das fronteiras com o Qatar, acusando Doha de apoiar organizações terroristas e desestabilizar a política no Oriente Médio. O Qatar nega as acusações. 

    Confira a análise da decisão pelo analista político Hassan Hanizadeh em entrevista à Sputnik Persa.

    Mais:

    Opinião: informações sobre abertura de base militar iraniana visam pressionar Qatar
    Qatar se aproxima do Irã para criar novo bloco contra sauditas?
    Impasse no Golfo: Qatar restaura laços com o Irã, rival da Arábia Saudita
    Qatar não planeja enviar suas tropas à Síria
    Turquia e Qatar realizaram exercícios navais conjuntos
    Por que pagar R$ 815 milhões por Neymar é uma pechincha para o PSG e para o Qatar
    Embaixada do Qatar e Al-Jazeera desmentem informações sobre propinas pagas à mídia russa
    Especialista: crise entre Qatar e países árabes pode piorar ainda mais
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar