20:24 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo insólito
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    A colorida criatura, conhecida como "dançarina espanhola", foi observada nesta semana na costa da Austrália, nas águas de Coral Bay.

    Porém, não era uma dançarina como o nome sugere, ao invés disso, era apenas uma lesma-do-mar que fazia sua rotina diária.

    Tendo o nome científico Hexabranchus sanguineus, a lesma-do-mar é conhecida mais pela alcunha de dançarina espanhola, uma vez que tem uma semelhança com a saia de uma dançarina de flamenco, de cor vermelha e laranja.

    Quando uma imagem capturou Hexabranchus sanguineus – em tradução do latim significa "seis guelras [aparelho respiratório de animais marinhos] de cor sanguínea" – e foi publicada no Instagram nesta semana, muitos se impressionaram pela memorável criatura do mar, com alguns usuários compartilhando suas próprias imagens de lesma do mar ao longo dos anos.

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Adigaz (@adigaz)

    O enorme molusco tem um corpo suave e achatado, e pode chegar até 90 centímetros, embora os de 20 ou 30 centímetros sejam mais comuns.

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Adigaz (@adigaz)

    Segundo o site Atlas of Living Australia, em situação normal, quando o animal está rastejando, as bordas de seu manto são enroladas para cima criando uma bolha. Mas, se a criatura for perturbada, ela desdobra suas bordas e pode nadar através de contrações do corpo para se afastar do elemento perturbador.

    A "dançarina espanhola" habita o Indo-Pacífico, incluindo os arredores da Austrália, Japão, Havaí e algumas partes da costa oeste da África, repletas de recifes de corais.

    Mais:

    Crocodilo Elvis comemora 55º aniversário com 'rolo da morte' na Austrália
    Predadores nunca antes vistos são descobertos na costa da Austrália (FOTOS)
    'Não teremos escolha': Google adverte que pode bloquear seu mecanismo de busca na Austrália
    Tags:
    mar, coral, Austrália, molusco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar