18:05 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira do Reino Unido perto do parlamento britânico, em Londres, em abril de 2017

    'Londres é responsável por atentado contra ex-espião', diz presidente do parlamento russo

    © REUTERS / Stefan Wermuth
    Mundo
    URL curta
    Envenenamento de ex-espião russo (101)
    7171

    O presidente do parlamento russo, Vyacheslav Volodin, declarou nesta terça-feira (13) que o a responsabilidade pelo ataque perpetrado contra o ex-espião russo, Sergei Skripal, bem como a outros cidadãos da Rússia, é do Reino Unido.

    "Toda a responsabilidade pelo que aconteceu com os cidadãos russos que deixaram seu país cai sobre o Reino Unido, é algo absolutamente evidente e confirmado pelos casos de Litvinenko e Berezovsky", disse ele em uma coletiva de imprensa.

    A primeira-ministra britânica Theresa May disse na última segunda-feira que é altamente provável que a Rússia seja responsável pelo envenenamento de Sergei Skripal e sua filha, e por isso ela deu a Moscou dois dias para apresentar uma explicação oficial sobre a situação. No caso de uma resposta inadequada, ela prometeu "medidas muito mais amplas" contra a Rússia que o pacote de sanções em vigor.

    Em resposta, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia descreveu as observações de May como "exibição no Parlamento do Reino Unido". A embaixada russa nos EUA também divulgou um comunicado afirmando que não há provas de que as autoridades russas tenham qualquer envolvimento com o envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal no Reino Unido.

    Tema:
    Envenenamento de ex-espião russo (101)

    Mais:

    'História impossível': por que acusação sobre Moscou ter envenenado ex-espião é infundada?
    Premiê britânica responsabiliza a Rússia por envenenamento de ex-espião russo e da filha
    Moscou qualifica acusações de envenenamento de ex-espião russo como propaganda
    Tags:
    envenenamento, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Skripal, Theresa May, Londres, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik