10:49 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Manifestação a favor de integração europeia em Kiev, Ucrânia

    'Ucrânia está atacando União Europeia pelas costas', diz chanceler húngaro

    © Sputnik / Pyotr Zadorozhny
    Mundo
    URL curta
    374

    O Ministério das Relações Exteriores da Hungria criticou a decisão do Tribunal Constitucional da Ucrânia de revogar a lei sobre os fundamentos da política da língua estatal, que permite o uso de línguas regionais no trabalho em órgãos estatais. A declaração foi publicada no site do ministério.

    "Uma série de atos relacionados começou com a Lei de Educação, ataques contínuos à sede da Sociedade da Cultura Húngara da Transcarpátia, e agora alcançou seu apogeu com a abolição da lei sobre as línguas, que permitira que as minorias usem sua língua nativa", disse o ministro das Relações Exteriores da Hungria, Peter Siyarto. 

    A Ucrânia, segundo o ministro, espera que a Europa demonstre solidariedade e, ao mesmo tempo, "ataque pelas costas" com medidas brutais as comunidades étnicas. O chanceler destacou que o seu país se recusa a apoiar as aspirações de Kiev de integrar a Europa até que os direitos das minorias sejam restaurados.

    As tensões nas relações entre a Ucrânia e a Hungria surgiram no contexto de discussões sobre a lei ucraniana sobre educação, que, entre outras coisas, reduz significativamente a possibilidade de ensino nas línguas das minorias étnicas.

    Nos governos de vários países, incluindo a Hungria e a Romênia, considerou-se que a lei viola os direitos das minorias étnicas. Moscou também concluiu que o documento contradiz a constituição e as obrigações internacionais de Kiev.

    Mais:

    Hungria pede intervenção da OSCE na região da Transcarpátia, na Ucrânia
    Hungria reforça fronteira com Ucrânia depois do tiroteio em Mukachevo
    Tags:
    minorias étnicas, União Europeia, Hungria, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik