08:56 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados norte-americanos no Havaí

    Quais são os planos dos EUA em caso de possíveis guerras com Rússia e China?

    © AP Photo / David Goldman
    Mundo
    URL curta
    565

    Pentágono nega que Washington será capaz de lidar com ambos os países simultaneamente. Neste contexto, pretende "reformular suas forças" em torno de possíveis conflitos armados com Rússia e China.

    Tal necessidade foi afirmada pelo vice-presidente do Estado-Maior norte-americano, general Paul Selva, que também advertiu que EUA não serão capazes de enfrentar ambos os problemas ao mesmo tempo.

    "Há dois desafios únicos com os quais temos que lidar, e seus elementos se sobrepõem, mas não são os mesmos", destacou Selva, adicionando que ambos os focos exigem diferentes ações.

    Segundo explica o general, EUA devem desenvolver os perfis de suas Forças Armadas de acordo com cada rival. "Qualquer combate com a China, se ocorrer, será principalmente uma batalha marítima ou aérea", indica. E no caso da Rússia, "seria basicamente uma luta aérea terrestre, suportada pelo componente marítimo", adicionou.

    Entretanto, Selva recordou que na recém-apresentada Estratégia de Segurança Nacional, Washington identifica Moscou como um desafio "global", e a considera, bem como Pequim, uma "ameaça" mais grave do que o terrorismo.

    Mais cedo, o vice-presidente do Estado-Maior norte-americano sublinhou que é vital para EUA restaurar sua vantagem quanto ao desenvolvimento de armas supersônicas, especialmente no âmbito do avanço tecnológico atingido pela China e Rússia na área. Ele confirmou que "as capacidades dos arsenais nucleares russos e chineses são, de fato, maiores que as nossas que permanecem relativamente estáticas".

    Mais:

    Além da Rússia e China, quem mais pode concorrer com EUA?
    Trump qualifica China e Rússia como rivais que desafiam os interesses dos EUA
    Em discurso ao Congresso, Trump disse que vai restaurar o poder dos EUA no mundo
    China busca aumentar seu poder nuclear para evitar 'bullying' dos EUA
    Especialista sobre política externa dos EUA: parecem uma 'mulher histérica'
    Tags:
    forças, Estratégia de Segurança Nacional, batalha, guerra, Estado-Maior, Pentágono, Paul J. Selva, Rússia, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik