15:37 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiro estratégico B-21 norte-americano

    Pentágono busca meios para ganhar corrida de armas supersônicas

    © REUTERS / Força Aérea dos EUA
    Defesa
    URL curta
    241
    Nos siga no

    É vital para EUA restaurar sua vantagem quanto ao desenvolvimento de armas supersônicas, especialmente no âmbito do avanço tecnológico atingido pela China e Rússia na área, insiste o vice-presidente do Estado-Maior dos EUA, general Paul Selva.

    Em sua opinião, China está pronta para gastar até "centenas de bilhões de dólares" em resolução de problemas ligados com voos supersônicos. Entretanto, "nós [EUA] usamos outro conceito que prevê a criação de um conjunto de sistemas supersônicos", o jornal National Defense cita as palavras do general.

    De acordo com suas palavras, o Pentágono agora está elaborando meios que garantirão o funcionamento e manobrabilidade de veículos aéreos. Além disso, planeja-se aperfeiçoar ataques contra diferentes alvos, tanto os estáticos, quanto os móveis.

    Neste contexto, ele adicionou que o desenvolvimento de veículos aéreos tripulados supersônicos é pouco provável. "Quando vocês criam armas supersônicas, provavelmente não há necessidade de construir plataformas supersônicas tripuladas. E não tenho certeza de que receberá financiamentos", destacou.

    Ao mesmo tempo, o vice-presidente do Estado-Maior dos EUA sublinhou que o elemento-chave dos esforços militares norte-americanos exercidos para superar avanços tecnológicos da Rússia e China é a modernização nuclear.

    "As capacidades dos arsenais nucleares russos e chineses são, de fato, maiores que as nossas que permanecem relativamente estáticas", adicionou.

    Atualmente, o Pentágono está modernizando o bombardeiro B-21, submarino com mísseis balísticos de classe Columbia, instalações terrestres de resistência estratégica e o míssil de cruzeiro de longo alcance. Não obstante, seus esforços resultam apenas em "melhorias moderadas" em termos de entregas e funcionamento de fábricas nucleares.

    Em outubro do ano passado, o chefe do comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação da Rússia, Viktor Bondarev, comunicou que o programa nacional de desenvolvimento de armamentos da Rússia até 2025, inclui uma vasta implicação de armas de alta precisão baseadas em tecnologia supersônica.

    Mais:

    Qatar expandirá maior base dos EUA no Oriente Médio para torná-la permanente
    Aposta arriscada? General diz que Coreia do Norte não provou que pode atingir os EUA
    Plano de Trump pode aumentar risco de guerra nuclear, afirmam senadores dos EUA
    Rapidez, precisão e nova interface: EUA modernizam seu principal míssil antinavio
    Tags:
    supersônico, modernização, armas nucleares, corrida armamentista, Pentágono, Paul J. Selva, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar