12:01 19 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Cápsula da Orion(NASA) no topo dos elevadores espaciais Delta IV

    Comercialização do espaço ou menosprezo do clima? Que esperar do potencial chefe da NASA?

    © AP Photo/ Marta Lavandier
    Mundo
    URL curta
    0 26402

    Em 1 de setembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, propôs o republicano Jim Bridenstine para o cargo de novo chefe da NASA. A nomeação do político causou controvérsia, pois é conhecido por seu ceticismo climático. O portal Lenta.ru comentou a escolha extraordinária de Trump e suas possíveis consequências.

    Ex-militar da Força Aérea dos EUA e atual membro da Câmara dos Representantes, Jim Bridenstine, de 42 anos, é um apoiante da comercialização do espaço e da colonização da Lua, afirmando repetidas vezes que os EUA devem voltar ao satélite da Terra, onde ele propõe instalar uma base norte-americana. Foi ele que propôs no Congresso a iniciativa de dar prioridade (além da colonização da Lua) às missões tripuladas dos EUA a Marte. Porém, o projeto não ganhou apoio.

    Além disso, Jim Bridenstine acredita que a NASA deve se concentrar na exploração do espaço longínquo, enquanto suas funções de estudar o clima devem ser transmitidas para outras instituições.

    No projeto de 2016, comenta o Lenta.ru, o político, de fato, sugeriu mudar os principais objetivos da NASA, que se deverá concentrar em três tarefas: exploração do Sistema Solar, domínio nas missões tripuladas à Lua e a Marte e criação da infraestrutura para a comercialização do espaço.

    Assim como Trump, o potencial chefe da NASA nega a ideia de as mudanças climáticas serem provocadas pela atividade humana.

    "As temperaturas globais pararam de mudar há dez anos. As mudanças globais de temperaturas, se as houver, têm correlação com a emissão de energia e ciclos oceânicos", cita o Lenta.ru a afirmação de Bridenstine em 2013.

    As tarefas principais que o futuro chefe da NASA vai encarar incluem o lançamento do foguete superpesado SLC (Space Launch System), em inglês) e da nave tripulada Orion. O primeiro voo não tripulado dos dois aparelhos está previsto para 2018, mas, como afirma o autor do artigo, é muito provável que a missão seja adiada para 2019.

    Alguns senadores e especialistas do clima já se pronunciaram contra a nomeação de Bridenstine, preferindo ter como chefe da agência espacial um cientista e não um político.

    Caso a nomeação seja aprovada, isto significará que a NASA se focará em missões tripuladas ao espaço, deixando de lado os estudos do espaço próximo da Terra, nomeadamente no âmbito da Estação Espacial Internacional, acredita o autor do artigo.

    Resumindo, Jim Bridenstine, se quiser ficar na história da NASA, terá que se esforçar bastante até ao fim do mandato de Donald Trump, afirma o Lenta.ru, pois, com a saída do atual presidente, a carreira de Bridenstine na NASA também deverá terminar.

    Mais:

    Atividade extraterrestre? Câmeras da NASA captam discos misteriosos (VÍDEO)
    Origem das auroras de Júpiter surpreendeu até mesmo a NASA
    Tags:
    exploração espacial, espaço, comercialização, NASA, Donald Trump, Espaço, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik