03:35 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Enchente no estado da Virgínia Ocidental

    Decisão de Trump sobre Acordo de Paris pode deixar Nova York embaixo d’água, diz estudo

    © AP Photo/ Steve Helber
    Américas
    URL curta
    750121

    A decisão do presidente norte-americano Donald Trump em retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris deve ajudar a colocar cidades como Nova York, São Francisco, Boston e Miami embaixo d’água em até 80 anos, de acordo com um estudo científico recém-divulgado no país.

    O trabalho, divulgado pela rede de TV CNN, mostra que o aumento dos níveis oceânicos é uma realidade e gráficos produzidos pelos cientistas exibem as altas históricas das marés para comprovar isso. É um claro alerta para quem vive em regiões costeiras dos EUA.

    “Esta pesquisa aborda exatamente como o aumento do nível do mar está nos atingindo primeiro. O número de pessoas que experimentam inundações crônicas crescerá muito mais rapidamente do que o nível do mar em si”, afirmou à CNN Benjamin Strauss, vice-presidente de Nível do Mar e Impactos Climáticos na Central do Clima.

    O levantamento produzido pelo grupo Union of Concerned Scientists (União dos Cientistas Interessados, em tradução livre) apresentou uma lista conservadora de cidades que tendem a ser vítimas do aumento do mar nas próximas décadas, em razão do aquecimento global e o degelo das calotas polares.

    Ao considerar inundação como “a área não pantanosa é inundada pelo menos 26 vezes por ano ou o equivalente a uma inundação a cada duas semanas”, a entidade apresentou um cenário de risco para pelo menos 30 cidades com mais de 100 mil habitantes, em um cenário moderado.

    O cálculo mais pessimista sobe o número para 50 cidades, incluindo cidades como Boston, Miami, Oakland e quatro dos cinco bairros de Nova York.

    “Entre 165 e 180 comunidades [serão] inundadas cronicamente nos próximos 15 a 20 anos; Entre 270 e 360 em cerca de 40 anos, dependendo do ritmo do aumento do nível do mar; e 490 no final do século com um cenário moderado de aumento do nível do mar”, disse Erika Spanger-Seigfried, co-autora e analista sénior de clima da UCS.

    “Com um cenário de aumento do nível do mar mais alto, esse número sobe para cerca de 670; Isto é cerca de metade de todas as comunidades à beira-mar”, emendou. “Este estudo destaca que é realmente importante para as pessoas entenderem. O aumento do nível do mar significa um crescimento acentuado das inundações costeiras. Na verdade, a maioria das enchentes costeiras de hoje já são conduzidas pelo aumento do nível do mar causado pelo homem”.

    Os custos prometem ser astronômicos, caso as previsões do estudo se confirmem. E a decisão de Trump em retirar o país do acordo climático – defendido pelos cientistas responsáveis pelo levantamento – também não foi esquecida no trabalho.

    “A manutenção do aquecimento entre 1,5 e 2 graus Celsius até o final do século poderia poupar entre cerca de 200 e 380 comunidades costeiras dos EUA, incluindo quase 50 cidades principais [vítimas] de inundações crônicas”, apresenta o estudo. Para Erika Spanger-Seigfried, é preciso que comunidades e o governo federal pensem a respeito e se adiantem ao problema que se desenha.

    Mais:

    Trump x prefeitos: A batalha em torno do Acordo de Paris está apenas começando
    Trump: Acordo de Paris foi abandonado pelo bem dos americanos
    Merkel liga para Trump e expressa 'desaprovação' após saída do Acordo de Paris
    Tags:
    inundações, aquecimento global, meio ambiente, clima, acordo climático, Acordo de Paris, CNN, Union of Concerned Scientists, Donald Trump, São Francisco, Boston, Nova York, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik