04:32 19 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Memorial de Guerra Soviético em Berlim

    'Rússia e Europa devem lutar juntas contra ressurgimento do nazismo'

    © Sputnik / Aleksandr Yuriev
    Mundo
    URL curta
    20143
    Nos siga no

    A Rússia e a Europa devem lutar juntas e nunca se esquecerem que elas conseguiram livrar o mundo do flagelo fascista durante a Segunda Guerra Mundial trabalhando em parceria, disse o historiador russo à Sputnik em relação com a decisão da Polônia de demolir os monumentos soviéticos no país.

    Na quarta-feira (19), a câmara baixa do parlamento russo, Duma de Estado, apelou aos legisladores europeus para impedirem a destruição ou a profanação dos monumentos aos soldados que libertaram a Europa do fascismo e para se unirem aos esforços conjuntos destinados a enfrentar qualquer tentativa de reanimar fascismo em todas as suas formas.

    O apelo se seguiu à decisão das autoridades polonesas de demolir os monumentos soviéticos no país.

    "O apelo da Duma de Estado é muito importante e acho que os europeus devem prestar atenção a isso, porque a destruição dos monumentos erguidos como agradecimento ao Exército Vermelho representa um insulto à memória de milhares de soldados soviéticos que morreram libertando a Europa", disse à Sputnik Mikhail Myagkov, diretor da Sociedade de História Militar russa.

    Ele acrescentou que o apelo deve causar a reação dos que na Europa acreditam que a Rússia e a Europa têm muitos interesses em comum.

    "Partilhamos memórias da Segunda Guerra Mundial em que combatemos lado a lado contra o mal comum. Para impedir que ele volte a levantar sua cabeça, temos que resistir a todas as tentativas de difamar o Exército Soviético, de profanar sua memória e de branquear a história do Terceiro Reich", frisou o historiador.

    Monumento às tropas soviéticas em Varsóvia
    © AP Photo / Czarek Sokolowski
    Ele também ressaltou a importância das exposições e documentários historicamente corretos que forneçam às pessoas uma imagem imparcial de um passado não muito distante.

    O presidente da Polônia, Andrzej Duda, assinou na segunda-feira (17) as alterações à lei contra a propaganda comunista que prevê a demolição de monumentos soviéticos no país. A lei entrará em vigor três meses depois de sua assinatura. Segundo o Instituto de Memória Nacional da Polônia, cerca de 230 monumentos aos soldados do Exército Vermelho serão demolidos por causa dessa lei.

    Mais de 600.000 soldados soviéticos morreram ao libertar a Polônia da ocupação nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

    Mais:

    Coreia do Norte liga Trump a Hitler e diz que o seu governo é o 'Nazismo do Século 21'
    Ministro da Defesa israelense compara Al-Jazeera com 'propaganda nazista'
    Tags:
    monumentos soviéticos, insulto, destruição, Segunda Guerra Mundial, Polônia, Europa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar