16:09 10 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo, Vladimir Putin, e presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, durante encontro em São Petersburgo, Rússia, em 9 de agosto de 2016

    Putin e Erdogan trocam impressões sobre situação do Qatar

    © REUTERS / SERGEI KARPUKHIN
    Mundo
    URL curta
    Ruptura de relações diplomáticas com Qatar (67)
    11160
    Nos siga no

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o líder turco, Recep Tayyip Erdogan, conversaram nesta segunda-feira, por telefone, sobre as tensões que atingem o Oriente Médio, incluindo a situação no Golfo Pérsico após o rompimento em massa de relações com o Qatar.

    "A situação em torno do Qatar foi discutida. Os presidentes pediram que todos os países envolvidos procurem o diálogo visando ao desenvolvimento de soluções comprometidas, no interesse de preservar a paz e a estabilidade na região do Golfo Pérsico", informou o serviço de imprensa do Kremlin. 

    Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes e Egito romperam relações com o Qatar nas primeiras horas desta segunda-feira, acusando Doha de apoiar organizações terroristas e desestabilizar a segurança do Oriente Médio. Mais tarde, autoridades de Iêmen, Líbia e Maldivas também seguiram o exemplo.

    Ainda de acordo com o Kremlin, os dois líderes também reforçaram seu compromisso com a busca de soluções para a Síria, principalmente no que se refere à criação rápida de zonas de desescalada da violência no país, que vive mergulhado em um sangrento conflito civil desde 2011.

    Tema:
    Ruptura de relações diplomáticas com Qatar (67)

    Mais:

    Quando os velhos amigos decidem cortar o Qatar
    Moscou sobre Qatar: conflitos devem ser resolvidos por vias diplomáticas
    Israel tem algo a ver com escândalo diplomático em torno do Qatar?
    Tags:
    Kremlin, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin, Egito, Bahrein, Arábia Saudita, Emirados Árabes, Iêmen, Líbia, Maldivas, Península Arábica, Golfo Pérsico, Síria, Oriente Médio, Qatar, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar