03:41 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump dá ordem para realizar ataque massivo contra base aérea síria devido ao acidente com arma química em 6 de abril de 2017

    Opinião: Trump radicaliza a estratégia dos EUA na Síria

    © AFP 2018 / JIM WATSON
    Mundo
    URL curta
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)
    12313

    O presidente dos EUA, Donald Trump, estaria adotando uma nova estratégia "mais decisiva" em relação à guerra civil na Síria e se distancia de seu antecessor Barack Obama. Quem afirma é o cientista político chileno, Alberto Rojas, em entrevista à Sputnik.

    O acadêmico da Universidade Finis Terrae (UFT) disse que o líder norte-americano mostrou uma mudança radical na política externa de Washington a respeito do conflito sírio, tornando "mais executiva e decisiva" a sua resposta na presença da comunidade internacional.

    Na madrugada desta sexta-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou um ataque de mísseis contra uma base aérea na Síria, a partir da qual, supostamente, teria sido realizado um ataque químico. Segundo o Pentágono, o alvo era a base aérea de Shayrat, na província de Homs. O ministério da Defesa dos EUA anunciou o lançamento de 59 mísseis. Pelo menos sete pessoas morreram durante o ataque: cinco militares e dois civis, segundo informação do gabinete do governador de Homs.

    Segundo o especialista, o republicano mostrou que procura diferenciar-se de seu antecessor ao tomar a iniciativa, diferente da reação de Obama em 2013, quando 1.500 pessoas foram mortas em um ataque com gás sarin em Guta oriental, em Damasco.

    O então presidente dos EUA anunciou uma ofensiva militar contra o presidente sírio, Bashar Assad, que eventualmente foi derrubada pela Rússia, assim como o compromisso da gestão de Assad de entregar o arsenal químico no seu território.

    Rojas disse que os ataques na Síria esta semana, "demonstram o fracasso da comunidade internacional frente à guerra civil naquele país e à crise humanitária que gerou", porque muitas nações "têm favorecido os seus interesses sobre o conflito que se estende por seis anos".

    Tema:
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)

    Mais:

    Senadores dos EUA querem criar tribunal para a guerra na Síria
    Tillerson diz que ficou 'desapontado' com resposta da Rússia aos ataques dos EUA na Síria
    Dezenas de cidades dos EUA têm protestos contra ataque americano à Síria
    EUA podem realizar novos ataques à Síria, diz embaixadora
    Tags:
    ataque, guerra, conflito, estratégia, Donald Trump, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik