16:19 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    1112
    Nos siga no

    Na quinta-feira (6), a edição de Hong Kong South China Morning Post disse que as negociações entre Xi Jinping e Donald Trump representam um grande interesse para os países-vizinhos da China na Ásia.

    Muitos dos países asiáticos, segundo a edição, receiam que o papel dos Estados Unidos de jogador-chave no domínio da segurança pode sair enfraquecido.

    Qualquer desenvolvimento nas relações sino-americanas pode realmente afetar os interesses dos países da região Ásia-Pacífico, disse à Sputnik China o vice-diretor do Instituto da Ásia e África da Universidade Estatal de Moscou Andrei Karneev.

    Alguns especialistas acreditam que se Xi Jinping fizer concessões sérias na área do comércio ou autorizar um aumento sério dos investimentos na infraestrutura dos Estados Unidos, Trump poderá prometer reduzir o apoio aos aliados na região e reduzir a presença dos EUA no Círculo do Pacífico, especialmente na área sensível para Pequim do mar do Sul da China.

    A China não quer escalar o conflito e levá-lo a uma confrontação aberta e ao uso da força. Mas a isso pode levar a escalação da presença militar dos EUA no mar do Sul da China ou a realização de exercícios militares conjuntos com Taiwan.

    Ao mesmo tempo, a China e os Estados Unidos estão fortemente ligados na área da economia, por isso as tensões políticas e militares vão inevitavelmente influenciar o comércio.

    O especialista assinala que as concessões de Trump também podem ser consideradas pelos países da região como um sinal da fraqueza dos EUA. Os especialistas do governo dos EUA em questões da China não podem realmente tomar decisões, mas a nova administração do presidente Trump até agora não elaborou uma política clara em relação à China.

    Tudo isso aumenta as chances que as partes não cheguem a um acordo durante a próxima reunião em Mar-a-Lago, o que também se irá tornar uma dor de cabeça para os vizinhos da China na região. O fracasso das negociações não causa menos preocupação. O fortalecimento do confronto sino-americano irá inevitavelmente afetar os interesses dos países da Ásia-Pacífico – vai obriga-los a escolher entre a China e os Estados Unidos. É claro que eles não querem fazer isto, disse o especialista. "Para eles seria ideal manter o status quo, preservando o papel dos EUA como garante da segurança em conjunto com um rápido desenvolvimento da cooperação económica com a China."

    Mais:

    China exige fim do acordo de armas entre EUA e Taiwan
    China deve ultrapassar em breve os EUA em número de patentes, diz agência da ONU
    China 'não quer ver' guerra comercial com EUA
    Tags:
    negociações, economia, Xi Jinping, Donald Trump, Taiwan, Mar do Sul da China, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar