11:47 22 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Investigadores analisam o carro em que o jornalista Pavel Sheremet foi assassinato no centro de Kiev

    Departamento de Estado dos EUA condena assassinato de jornalista russo na Ucrânia

    © REUTERS/ Valentyn Ogirenko
    Mundo
    URL curta
    0 17

    O Departamento de Estado dos EUA declarou ser inadmissível para uma sociedade democrática o assassinato do jornalista russo Pavel Sheremet em Kiev, capital da Ucrânia.

    Sheremet morreu na terça-feira (19), em decorrência da explosão de uma bomba plantada em seu automóvel. A procuradoria da Ucrânia confirmou tratar-se de uma assassinato e o presidente do país, Pyotr Poroshenko, encarregou pessoalmente as autoridades competentes de investigar o ocorrido.

    “Estamos chocados e tristes com o assassinato do jornalista do [jornal] Ukrainskaya Pravda Pavel Sheremet em explosão de seu automóvel em Kiev… Ele desempenhou um papel decisivo no desenvolvimento da democracia na Ucrânia, revelando problemas de suma importância para a sociedade, incluindo a corrupção e o sistema de governo. O assassinato do senhor Sheremet é inaceitável numa sociedade livre e democrática” – diz um comunicado do porta-voz oficial do Departamento de Estado John Kirby.

    Ele confirmou ainda que os EUA, através do FBI, já estão ajudando as autoridades ucranianas na realização de uma “investigação completa e imparcial, visando levar à justiça os responsáveis por esse crime.

    ​Nascido em Minsk, capital da Bielorrússia, em 1971, Sheremet trabalhou na televisão russa nas décadas de 1990 e 2000. Nos últimos cinco anos, ele estava morando em Kiev, onde trabalhava no jornal Ukrainskaya Pravda e na Radio Vesti.

    De acordo com as mídias ucranianas, desde o início de 2014 pelo menos 16 jornalistas foram mortos no país.

    Tags:
    condenação, assassinato, Departamento de Estado dos EUA, Pavel Sheremet, Ucrânia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik