01:46 12 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    104
    Nos siga no

    Os governos dos dois países pretendem dividir os bens do famoso narcotraficante El Chapo (O Nanico, em português), informou um representante da embaixada estadunidense no México.

    Os bens do criminoso em questão, Joaquín Guzmán Loera, podem atingir o total de 1 bilhão de dólares, mas o montante final ainda não foi divulgado oficialmente.

    Lembramos que El Chapo foi chefe do Cartel de Sinaloa e que os lucros deste cartel de drogas são várias vezes superiores a este número.

    O criminoso, que foi detido em janeiro pelas autoridades mexicanas, atualmente está em uma prisão perto da fronteira dos EUA aguardando a extradição para este país.

    "Os governos dos Estados Unidos e do México estão realizando um diálogo relativamente ao tema [divisão de fortuna de Guzmán], nós esperamos que, caso ele seja condenado, a divisão justa da sua fortuna seja feita entre os nossos dois países", disse um representante da representação diplomática dos EUA que pediu anonimato, citado pela publicação Excelsior. 

    Foto de Joaquin Guzman Loera, apelidado de El Chapo, tirada pela polícia mexicana em 8 de janeiro de 2016
    © AFP 2020 / HO
    Foto de Joaquin Guzman Loera, apelidado de El Chapo, tirada pela polícia mexicana em 8 de janeiro de 2016
    Cabe mencionar também que esta é já a terceira vez que El Chapo é preso pelas autoridades após se ter evadido da prisão. Pela primeira vez isso aconteceu na Guatemala, em 1993, e ele foi extraditado ao México. Depois, em 2001, ele conseguiu fugir quanto se tornou público que seria extraditado aos EUA.

    Após 13 anos foragido, Guzmán foi de novo detido em fevereiro de 2014, perto da cidade de Mazatlán (México). Em julho de 2015, El Chapo conseguiu se evadir de novo e, durante cerca de seis meses, esteve em paradeiro desconhecido antes de retornar à prisão de Altiplano. Só depois foi transferido para a prisão onde agora se encontra, perto da fronteira dos EUA.

    Tags:
    extradição, dinheiro sujo, narcotráfico, El Chapo, México, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar