14:59 14 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    5260
    Nos siga no

    Enquanto o presidente turco Recep Tayyip Erdogan se retrata o si mesmo como “o governador político” do mundo muçulmano, tais países como Marrocos, Tunísia e Argélia estão virando para a cooperação com a Rússia.

    Os três países africanos estão enfrentando a ameaça de violência jihadista e querem melhorar o seu sistema de defesa e, depois do sucesso da Rússia na Síria, estão se orientando para Moscou, informa um artigo no jornal turco BirGun. A cooperação entre a Rússia e os países muçulmanos, especialmente na África do Norte, está se desenvolvendo.

    A Rússia e Marrocos têm uma longa história das relações de amizade e mutuamente vantajosas. Apesar das posições diferentes sobre alguns assuntos políticas, incluindo a crise na Síria, o reino africano precisa de cooperação técnica e militar para manter a segurança nacional.

    Em março, o rei de Marrocos Mohamed VI fez uma visita a Moscou que, tradicionalmente, resultou em um número de acordos importantes. Em 2014, a Rússia foi o nono maior parceiro de Marrocos, aumentando os investimentos neste país devido à sua situação política estável.

    No que se refere à Tunísia, a sua virada para Moscou aconteceu em março, depois de militantes do Daesh terem atacado a cidade de Ben Guerdan, situada perto da fronteira líbia.

    A intensificação dos laços russo-tunisinos se iniciou devido ao comércio: Moscou  reduziu as barreiras aduaneiras para mercadorias tunisinas. Os dois países também deram passos no sentido de desenvolver a cooperação militar.

    A Argélia, outro país do Norte de África, começou a introduzir rigorosas medidas de defesa. No ano passado, o país comprou uma dúzia de caças Su-32 e Su-34, no valor de cerca de $500-600 milhões (R1,7-2 bi), helicópteros de ataque Mi-28NE e um avião de transporte Il-76MD-90A. Recentemente, a Rússia enviou à Argélia um satélite que vai permitir monitorar a situação nas fronteiras com a Tunísia, a Líbia, o Mali e o Niger.

    De acordo com o artigo, a razão do desenvolvimento da cooperação entre os países muçulmanos e a Rússia é que Moscou pode oferecer mais do que os EUA e outros países ocidentais, que raramente compartilham dados dos serviços secretos.

    Segundo o Instituto de Pesquisas de Paz Internacional de Estocolmo, ao longo da década passada as importações de armas e equipamento militar pela Argélia e Marrocos aumentaram em 19%.

    Ao contrário das previsões, o envolvimento da Rússia no conflito sírio não alterou a orientação da África do Norte e do Oriente Médio em relação a Moscou.

    “Agora a Rússia é uma potência global e os países muçulmanos, faceando ameaças à segurança, estão buscando a cooperação militar com Moscou”, concluiu o autor.

    Tags:
    cooperação econômica, cooperação militar, Recep Tayyip Erdogan, Síria, Argélia, Tunísia, Marrocos, Oriente Médio, África do Norte, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar