14:21 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldado norte-americano disfarçado como um lobisomem numa das bases da OTAN - no KosovoBase Bondsteel

    Junto ao inimigo? Jornalista sérvia visita base americana no Kosovo (EXCLUSIVO)

    © AFP 2019 / ARMEND NIMANI © Foto / Wikipedia
    1 / 2
    Mundo
    URL curta
    5211
    Nos siga no

    A segunda maior base europeia dos EUA – Campo Bondsteel – foi construída no Kosovo após o fim de bombardeios da Iugoslávia e a passagem do local para controle internacional. A correspondente da Sputnik Sérvia Brankica Ristic conseguiu visitar a base.

    Os EUA escolheram um lugar que quase não sofreu dos ataques da OTAN, quer dizer, aqui não há urânio empobrecido.

    Em menos de três anos, um campo de tendas foi transformado em um centro de comando sofisticado com sistemas de vigilância e defesa. A base ocupa 360 mil metros quadrados e a permissão para acessá-la levou três meses de verificações. 

    Mas, mesmo na carta de permissão, diz-se que “os EUA e a Força Aérea não se responsabilizam por si durante a sua permanência na base”.

    Em geral a base parece-se com aquelas vilas americanas mostradas nos filmes, contou a jornalista Ristic: 25 quilômetros de asfalto, cerca de 300 edifícios e 11 torres de vigia.

    • Igreja na base militar americana Bondsteel no Kosovo
      Igreja na base militar americana Bondsteel no Kosovo
      © Sputnik / Brankica Ristic
    • Na parte norte da base há heliporto, centro de radar, prisão e hospital
      Na parte norte da base há heliporto, centro de radar, prisão e hospital
      © AFP 2019 / ARMEND NIMANI
    • A parte norte da base Bondsteel não é iluminada à noite e mesmo durante o dia é difícil ver tudo
      A parte norte da base Bondsteel não é iluminada à noite e mesmo durante o dia é difícil ver tudo
      © Foto / Brankica Ristic
    • O número de tanques, helicópteros e soldados não é divulgado oficialmente
      O número de tanques, helicópteros e soldados não é divulgado oficialmente
      © Foto / Brankica Ristic
    1 / 4
    © Sputnik / Brankica Ristic
    Igreja na base militar americana Bondsteel no Kosovo
    A rotação de militares ocorre a cada três ou seis meses, dependendo da avaliação da situação de segurança. A propósito, só os comandantes possuem armas. Embora oficialmente não tivesse sido confirmado, se acredita que o salário mínimo em Bondsteel seja de 3.000 de dólares, além de 40% adicionais devido ao "perigo de guerra no Kosovo". Aqui, como em todas as outras bases americanas, o sexo, o álcool e a posse de armas são proibidos.

    Os albaneses, cidadãos de povoados vizinhos, fazem aqui de tudo um pouco: cozinhar, limpar os esgotos e até lavagem de roupa. Todos eles foram recrutados através da empresa americana Brown and Root, como em todas as bases americanas do mundo. O pessoal civil que serve na base tem um salário de 400 a 800 de dólares, o que é considerado muito a nível local. No passado trabalhavam na base 2.500 civis mas agora só restam cerca de 100.

    No que diz respeito ao número de militares, os dados são secretos. Mas é sabido que na missão da OTAN no Kosovo (KFOR na sigla em inglês) além de americanos servem militares de dezenas de países, inclusive da Polônia, República Tcheca, Ucrânia, Turquia, Romênia e Eslovênia.

    Seja como for, a base consome diariamente cerca 2. 271 mil litros de água, são lavados 1.400 cestos de lavandaria e cozinhadas 18 mil refeições. Nas lojas da base podem ser comprados mais de 12 mil tipos de mercadorias.  

    OTAN
    © AP Photo / Virginia Mayo
    Além de poderem frequentar a igreja, os militares fazem um curso de História do “Estado de Kosovo”, porque a maioria de soldados tem uma vaga noção sobre o local onde está. Os cursos são oferecidos por albaneses, que obviamente apresentam a sua versão dos acontecimentos. 

    Segundo notou a jornalista, a equipe da Sputnik Sérvia deveria ampliar a visão dos militares, divulgando a sua versão dos acontecimentos.

    Para não entrar em pormenores, vamos dizer que anualmente o orçamento do Kosovo recebe 220 mil de euros pelo "aluguer" do território, embora a maioria do território da Bondsteel ocupe uma área que historicamente pertencia a sérvios.

    A base de Bondsteel processa dados provenientes não só dos Balcãs, mas também do Oriente Médio e Oriente Próximo. Aqui também estão localizados modernos sistemas de comunicação e o destacamento especial que de “guerra eletrônica” – agentes de informação experientes, que estiveram no Afeganistão e no Iraque.

    O futuro da base continua pouco claro, já que várias vezes houve notícias sobre o seu próximo fechamento. Existe mesmo a versão de que a base continuará sob o controle das Forças Armadas dos EUA, mas será transformada no Estado-Maior do futuro exército do Estado autoproclamado de Kosovo.

    Mais:

    Bálcãs: armar-se ou não armar-se, eis a questão
    Tags:
    base militar, OTAN, Kosovo, Sérvia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar