22:16 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    General Philip Breedlove

    Comandante da OTAN acusa Rússia de ‘conversas irresponsáveis’ sobre arsenal nuclear

    © AFP 2018 / SAUL LOEB / AFP
    Mundo
    URL curta
    29532

    O Comandante da OTAN na Europa, general norte-americano Philip Breedlove, criticou a Rússia por esta, supostamente, falar o tempo no uso de suas ogivas, demonstrando um comportamento irresponsável para uma potência nuclear.

    Nesta terça-feira (1), durante uma coletiva de imprensa no Pentágono, Breedlove que enxerga na Rússia uma “real ameaça”, e que a mesma opinião é sustentada por muitos outros comandantes da aliança.

    “Quero destacar que esse país possui milhares de ogivas nucleares. E eles falam o tempo todo sobre o seu uso. Creio que sejam conversas irresponsáveis para uma potencial nuclear” – afirmou o general da OTAN.

    Na semana passada, os EUA pediram à Rússia para discutir maiores reduções em seus arsenais nucleares sob o novo START (Tratado de Redução de Armas Estratégicas, na sigla em inglês) firmado entre os dois países, que entrou em vigor em 2011.

    A pedido foi recebido com perplexidade por Moscou. O vice-ministro de Relações Exteriores, Sergei Ryabkov, disse que tais conversas são impossíveis. Primeiro porque a Rússia já reduziu seu arsenal nuclear aos níveis do início dos anos 60; e segundo porque os EUA continuam suas ações de desestabilização ao desenvolverem um sistema de defesa de mísseis global e um programa de não-ataque nuclear para desarmar forças nucleares.

    Em janeiro deste ano, o comandante do Estado-Maior russo, general Valery Gerasimov, declarou que a manutenção e o reforço das forças nucleares serão uma prioridade das Forças Armadas da Rússia em 2016.

    Em novembro de 2015 o presidente russo Vladimir Putin chegou a declarar que a Rússia não está entrando em uma nova corrida armamentista, mas simplesmente recuperando o seu atraso dos anos 1990 e 2000.

    Tags:
    arsenal, nuclear, acusação, OTAN, Philip Breedlove, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik