14:00 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Equipes de TV em frente à sede europeia da ONU em Genebra

    Oposição síria ameaça abandonar conversas em Genebra

    © REUTERS/ Denis Balibouse
    Mundo
    URL curta
    9117

    O chefe do Alto Comitê de Negociações afirmou que a oposição síria - apoiada pela Arábia Saudita - deixará Genebra, sede das conversas inter-sírias, se o governo sírio “continuar a assassinar civis”.

    Daraya, subúrbio de Damasco e palco de combates entre o Exército Árabe Sírio e terroristas
    © Sputnik/ Mikhail Alaeddin
    A delegação de oposição síria apoiada pela Arábia Saudita deixará Genebra, sede das conversas inter-sírias, se o governo sírio “continuar a assassinar civis”, disse o chefe do Alto Comitê de Negociações (HNC, na sigla em inglês), em um comunicado distribuído neste sábado.

    A delegação de oposição desembarcou na cidade suíça neste sábado para conversas mediadas pela ONU com representantes governamentais. O objetivo é encerrar um conflito que já dura cinco anos na Síria e iniciar um período de transição que termine em eleições.

    “A presença da delegação em Genebra está ligada à melhoria da situação humanitária e não ao processo de negociação”, disse Riad Hijab, do HNC, no comunicado.

    A delegação apoiada por Riad, chefiada por Assad Zaouri, deve realizar uma reunião com um enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, no domingo. O Anteriormente, o HNC condicionou sua presença ao fim do suposto bombardeio do governo a civis e ao término doestado de sítio em cidades controladas por rebeldes.

    Mais:

    Turquia exclui curdos sírios das negociações sobre Síria em Genebra
    Mídia: Rússia atou as mãos dos EUA às vésperas das negociações sobre Síria
    Chancelaria russa: oposição síria está pronta para negociações em Genebra
    Instituto Ron Paul: Obama sabia desde início a verdade sobre a oposição síria
    Tags:
    guerra civil, oposição, negociações, Arábia Saudita, Síria, Suíça, Genebra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik