03:26 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Mapa político mostrando Crimeia como parte da Federação Rússa

    Ucrânia ameaça cidadãos e empresas de Israel com negócios 'não autorizados' na Crimeia

    © Sputnik/ Andrey Iglov
    Mundo
    URL curta
    22661025

    A Ucrânia ameaçou punir cidadãos e entidades comerciais israelenses que estejam fazendo negócios na Crimeia "não autorizados" por Kiev.

    Após a reunificação da Crimeia com a Rússia em 2014, Israel optou por manter uma posição neutra e até agora tem se recusado a participar da campanha de sanções antirrussas defendida pelos EUA e pela União Europeia, que, apesar do referendo popular realizado na península para fundamentar a separação da Ucrânia, ainda hoje afirmam que a Rússia “anexou” a região de modo ilegal.

    A embaixada da Ucrânia em Tel Aviv disse ter recebido informações sobre cidadãos israelenses que visitam a Crimeia, “violando as leis da Ucrânia", e que se engajam em atividades comerciais na região “sem autorização do governo ucraniano".

    "Se essas atividades não cessarem, todas as informações pertinentes serão encaminhadas para as autoridades ucranianas, a fim de levar os infratores à justiça", afirma um comunicado emitido pela embaixada.

    A missão diplomática ucraniana também ameaçou as empresas israelenses “infratoras” com sanções não especificadas.

    A península da Crimeia foi reintegrada ao território da Rússia em 2014 na sequência de um referendo em que 96 por cento da população local, predominantemente de etnia russa, votou a favor da reunificação. A decisão popular foi feita após os protestos da Praça Maidan, em Kiev, terem culminado com a derrubada do governo eleito da Ucrânia, em fevereiro de 2014.


    Mais:

    Putin e Obama falam sobre Ucrânia, Oriente Médio e Coreia do Norte em conversa telefônica
    Observadores franceses denunciam criminosa destruição de Donetsk pelo exército da Ucrânia
    EUA não enviarão armas letais à Ucrânia, mas Kiev pode produzi-las sozinha, diz embaixador
    Tags:
    comércio, Maidan, referendo, cidadãos, empresas, negócios, sanções, embaixada, Israel, Rússia, Ucrânia, Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik