05:54 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    9561
    Nos siga no

    O exército sírio e os seus aliados apoiados pela Força Aérea russa continuaram o seu avanço causando importantes baixas aos grupos terroristas em províncias-chave como Latakia, Homs, Damasco, Deir ez-Zor, Aleppo, Daraa e Hama, informou a agência iraniana de notícias FARS.

    Na terça-feira (12) as forças governamentais assaltaram o centro de concentração de terroristas em Daraa al-Balad, deixando muitos militantes mortos e causando danos sérios às sua armas e equipamento militar.

    Na província de Hama as tropas sírias atacaram uma série de bastiões do inimigo, declarou a agência citando fontes militares na área.

    “Os centros de concentração do grupo terrorista Ahrar al-Sham perto da aldeia de Atshan na parte setentrional de Hama foram massivamente atacados pelas tropas sírias que deixaram pelo menos oito terroristas mortos e mais dez — feridos”, disseram as fontes.

    Na província de Aleppo os aviões militares sírios alvejaram as posições terroristas na cidade de Manbaj na parte oriental da região.

    Entretanto a artilharia governamental síria atacaram as posições de terroristas na aldeia de Mansoura na parte oriental da cidade de Aleppo, relatou a agência.

    As forças governamentais sírias tem feito recentemente avanços rápidos contra terroristas em uma várias regiões do país.

    A Síria está em estado de guerra civil desde 2011. O governo do país luta contra um número de fações de oposição e contra grupos islamistas radicais como o Daesh (também conhecido como “Estado Islâmico”) e a Frente al-Nusra.

    Além dos esforços antiterroristas do exército sírio, em 30 de setembro a Rússia iniciou uma campanha aérea, tendo mais de 50 aviões de combate russos, inclusive Su-24M, Su-25 e Su-34 efetuado ataques de alta precisão contra as posições do Daesh na Síria após pedido do presidente Bashar Assad.

    Tags:
    exército, confrontos, terrorismo, FARS, Ahrar al-Sham, Daesh, Hama, Homs, Aleppo, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar