23:22 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Cristina Fernández de Kirchner

    Cristina Kirchner prepara retorno à cena política em fevereiro

    Mundo
    URL curta
    354

    A ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, voltará à arena política como líder de uma fundação, segundo informou o jornal Tiempo Argentino.

    A ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, prepara seu retorno à cena política como líder de uma fundação cujas atividades começarão em fevereiro, de acordo com ex-funcionários do governo e atuais legisladores da Frente para a Vitória (FPV).

    Segundo o Tiempo Argentino, a ex-mandatária está ciente de tudo o que aconteceu em um mês de gestão do presidente Mauricio Macri e tomará como modelo o caminho percorrido por Luiz Inácio Lula da Silva no Brasil.

    "Perante esta situação (…) Cristina tem uma voz poderosa. E sua voz vai ressoar, quando retomar plenamente a atividade política, muito fortemente. Porque ela vai marcar cenários, transmitir ideias e pensamentos, reflexões", disse o deputado e antigo ministro da Defesa de Kirchner, Agustín Rossi.

    "Em última análise, Cristina vai ser o ponto de referência mais forte da oposição ao modelo neoliberal encabeçado por Macri", acrescentou.

    Este domingo (10) fechou o primeiro mês de governo de Macri. Durante esse período, o novo chefe de Estado já tirou 10 dias de férias e uma licença médica, enquanto o país é tomado por protestos contra a demissão de 12.000 funcionários públicos, o aumento das tarifas sobre serviços de gás e eletricidade e o desmantelamento da Lei de Meios.

    Mais:

    Novas autoridades argentinas anunciam intenção de lutar pelas Malvinas
    Argentina nomeia cidadão dos EUA para secretaria da presidência
    Fim dos impostos de exportação de produtos argentinos pode afetar relações com Brasil
    Argentinos vão em massa às ruas para defender a Lei de Meios
    Tags:
    protestos, política, demissão, Lei de Meios, neoliberalismo, fundação, Mauricio Macri, Cristina Kirchner, América Latina, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik