03:40 17 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    10617
    Nos siga no

    O Estado Maior grego informou nesta quarta-feira (2) que seis aviões de combate turcos F-16 violaram o espaço aéreo da Grécia sobre o Mar Egeu na terça-feira (1). Segundo o jornal Ekathimerini, a defesa do país divulgou que as aeronaves estiveram entre Lesvos e Chios às 15h01 antes de se separarem em dois grupos.

    “Quatro jatos voaram sobre a ilha de Fourni entre Samos e Chios às 15h25, enquanto os outros dois sobrevoaram Makronisi e a ilhota de Anthropofagoi antes de voar sobre Agathonisi”, relatou o Estado Maior grego.

    Aviões da Grécia foram enviados para interceptar os turcos e forçá-los a deixar espaço aéreo grego, disse o Ministério da Defesa. O incidente é uma das muitas violações cometidas pela Turquia ao espaço aéreo grego. Em 9 de Outubro, Atenas comunicou 39 invasões semelhantes de aeronaves militares turcas.

    Em 24 de novembro, a Turquia abateu um bombardeiro russo Su-24 durante a realização de ataques contra terroristas jihadistas na Síria. Ancara disse que o avião violou o espaço aéreo turco. A alegação é refutada pelo copiloto sobrevivente da aeronave da Rússia e pelo Ministério da Defesa do país eslavo, que divulgou os dados de voo do avião mostrando que o caça nunca entrou na Turquia.

    Após a invasão, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, proferiu palavras fortes para o seu homólogo turco, Ahmet Davutoglu, no Twitter. “O que está acontecendo no Mar Egeu é ultrajante e inacreditável”, disse em 29 de novembro. Mais tarde, os tweets foram excluídos de sua conta no idioma Inglês, mas permaneceram em sua conta no Twitter grego.

    “Felizmente nossos pilotos não são tão mercurial como o seu (foi) contra os russos”, escreveu o primeiro-ministro grego ao colega turco.

    Tags:
    violação, espaço aéreo, invasão, jato, avião, caça, Su-24, F-16, Twitter, Estado Maior, Ministério da Defesa, Ahmet Davutoglu, Alexis Tsipras, Síria, Atenas, Ancara, Mar Egeu, Rússia, Turquia, Grécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar