20:50 23 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Jovens palestinos lançam pedras contra veículo policial israelense

    Israel: penas mais rígidas para palestinos que atiram pedras

    © AFP 2018 / ABBAS MOMANI
    Mundo
    URL curta
    442

    Parlamento de Israel aprovou uma lei que torna mais rígida a pena contra palestinos que atirem pedras em seus soldados. A medida, publicada no site do Parlamento nesta terça-feira, ocorre após quase dois meses de uma onda de violência diária envolvendo palestinos e militares e civis israelenses.

    A nova lei estabelece uma pena mínima de três anos e, no caso de palestinos do leste de Jerusalém, priva os agressores de seus benefícios sociais. Os pais de menores de idade condenados também podem perder seus benefícios durante o período da sentença.

    A instabilidade começou com confrontos numa área sagrada de Jerusalém e rapidamente se espalhou por Israel, Cisjordânia e Faixa de Gaza. Onze israelenses morreram, a maioria em ataques a faca. Em um dos casos, um idoso de 64 anos morreu após ter seu carro atingido por pedras, em Jerusalém, quando voltava da celebração do ano novo judeu. Por outro lado, 69 palestinos já foram mortos, sendo somente 43 deles identificados por Israel como autores dos ataques.

    O parlamentar Nissan Slomiansky, responsável pela lei, disse que uma punição mínima é necessária para impedir novos ataques. "Atirar uma pedra é uma tentativa de assassinato". Já o advogado árabe Jamal Zahalka condenou a lei, dizendo que ela está "jogando gás no fogo".

    Tags:
    palestinos, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jerusalém, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik