Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

HRW: Israel implementa 'receita para abuso' contra palestinos

Soldado israelense no posto de controle entre Israel e Palestina
Soldado israelense no posto de controle entre Israel e Palestina - Sputnik Brasil
Nos siga no
Em meio à escalada da violência no Oriente Médio nas últimas semanas, o governo israelense decidiu reforçar as medidas de segurança na região Jerusalém Oriental e nas colônias israelenses da Cisjordânia, fechando bairros palestinos, realizando toques de recolher e restringindo o direito de ir e vir da população local.

As medidas do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, foram tomadas após dois israelenses terem morrido e dez ficado feridos após um atentado na última terça-feira, o mais violento sofrido por Israel desde o início de outubro. 

Stone-throwing Palestinians clash with Israeli police in Sur Baher, a village in the suburbs of Arab east Jerusalem, October 7, 2015 - Sputnik Brasil
Palestina e Israel: nova onda do terror mútuo
Vale lembrar, no entanto, que, desde o dia 1° de outubro, 30 palestinos foram mortos pelas forças israelenses em Jerusalém Oriental, Gaza e Cisjordânia, sendo que, de acordo com o Centro Palestino para os Direitos Humanos, metade eram crianças. Do lado israelense, o número de mortes foi de sete pessoas nas últimas duas semanas. 

Os bairros palestinos de Jerusalém Oriental são ocupados por Israel desde 1967. A região foi anexada em 1980, mas a medida nunca foi reconhecida internacionalmente. 

As ações de Israel preveem o isolamento das populações palestinas da parte oriental da cidade, a inspeção em transportes públicos, a destruição das casas de familiares dos “terroristas” sem permitir que possam ser reconstruídas, além da revogação da residência e outros direitos básicos dos que desfrutam do estatuto de moradores de Jerusalém.

O que para o primeiro-ministro de Israel foi encarado como segurança e prevenção a novos ataques, o bloqueio foi visto como uma ‘receita para o abuso’ pela organização não governamental Human Rights Watch (HRW), que condenou a decisão do governo israelense de fechar os bairros palestinos.

“Fechar os bairros de Jerusalém Leste violará a liberdade de movimento de todos os palestinos residentes sem ser uma resposta adequada a uma preocupação específica”, disse a diretora da HRW para a região, Sari Bashi.

Segundo ela, os controles de Israel nas entradas desses bairros são “uma receita para o assédio e o abuso”.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала