15:46 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Bandeira da Cuba

    Cuba conquista importante vitória sobre a Aids

    © Sputnik / Oleg Lastochkin
    Mundo
    URL curta
    2101
    Nos siga no

    A medicina cubana ganhou da Organização Mundial de Saúde (OMS) um importante reconhecimento. A entidade anunciou na terça-feira (30) que concedeu a Cuba o primeiro certificado de eliminação da transmissão de mãe para filho do vírus da Aids e da sífilis.

    “Esta é uma celebração para Cuba e uma celebração para as crianças e famílias em todos os lugares. Ela mostra que acabar com a epidemia da Aids é possível e esperamos que Cuba seja o primeiro de muitos países pela frente a buscar esta validação da eliminação da epidemia entre as crianças”, destacou o diretor-executivo da agência das Nações Unidas para a Aids (Unaids), Michel Sidibé.

    Anualmente, 1,4 milhão de mulheres contaminadas com o HIV, o vírus da Aids, dá à luz em todo o mundo, segundo a entidade. O risco de contágio para os filhos durante a gravidez, o parto e o aleitamento varia entre 15% e 45%, caso não seja feito um tratamento adequado.

    No entanto, com acompanhamento médico e as medicações corretas, a chance de transmissão mãe-filho diminui para 1%. Isto fez cair quase pela metade o número de crianças infectadas desta forma entre 2009, quando foram registrados 400 mil casos, e 2013, com 240 mil casos. A meta da Unaids é reduzir para 40 mil bebês infectados até o final deste ano.

    “Eliminar a transmissão de um vírus é uma das maiores vitórias que se pode obter em termos de saúde pública. Essa é uma grande vitória na nossa luta contra o HIV e um passo importante rumo a uma geração livre da Aids”, afirmou a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

    O mundo registra atualmente 33,5 milhões de soropositivos, 22 milhões estão na África.

    Tags:
    risco, eliminação, certificado, AIDS, gravidez, contágio, transmissão, ONU, Nações Unidas, OMS, Unaids, Margaret Chan, Michel Sidibé, África, Cuba
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar