17:23 23 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Russian rescue team

    Rússia testará robô androide de resgate em 2016

    © Sputnik / Максим Богодвид
    Mundo
    URL curta
    0 131

    O Ministério Para Situações de Emergência da Rússia espera começar a testar em 2016 seu primeiro robô androide de resgate projetado no país, revelou o vice-diretor do Instituto de Investigações da Defesa Nacional, Sergei Kachanov.

    O robô, cujo nome anterior é 'robô de salvamento', permite realizar diferentes funções de resgate em condições perigosas ou impossíveis para o ser humano; prevê-se que passará por um período de testes no polígono de Noguinsk.

    O androide foi apresentado nesta terça-feira por seus criadores na exposição "Segurança Íntegra — 2015".

    "Os manipuladores são análogos às mãos de uma pessoa, por isso não é necessário adaptar diferentes instrumentos e equipamentos. O robô pode utilizar tudo que usa um salva-vidas hoje em dia, além de conseguir realizar trabalhos de forma muito precisa, como desenroscar uma lâmpada."

    Kachanov ressaltou que o androide poderá ser controlado por um operador a qualquer distância, inclusive a milhares de quilômetros. Atualmente se estuda a possibilidade de que o robô possa enxergar no escuro ou em lugares com fumaça e manter seu equilíbrio em qualquer situação.

    "Espera-se que seja bípede, embora também sejam previstos diferentes tipos de chassis. O mais importante para nós são suas mãos, e não seus pés, para que o robô possa trabalhar sob escombros, aplicar injeções e levar uma corda", adicionou.

    Segundo Kachanov, o plano é projetar robôs mais pesados, que possam levantar escombros muito pesados, romper cabos, levantar feridos e levá-los a lugares seguros.

    Mais:

    Mídia francesa: Criação do Armata é um passo para tanque-robô
    Robô analisará interior do Reator 1 da Central Nuclear de Fukushima
    Lançador de mísseis ICBM estará no fórum Army-2015
    Tags:
    resgate, androide, robô, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar