00:44 19 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, recebe em Moscou o chanceler chileno, Heraldo Muñoz

    Moscou apoia Venezuela contra “arrogância” dos EUA

    © AFP 2018/ YURI KADOBNOV
    Mundo
    URL curta
    0 133

    A Rússia apoia a liderança venezuelana em seus passos para normalizar a situação no país e condena a arrogância dos EUA em relação à politica regional, segundo declarou o chanceler russo, Sergei Lavrov, após uma reunião nesta segunda-feira (20) com o ministro chileno das Relações Exteriores, Heraldo Muñoz.

    "Eu gostaria de expressar apoio à liderança venezuelana em seus esforços, exercidos com a ajuda de seus vizinhos na região, com o objetivo de normalizar a situação no país", disse Lavrov. "Nesta fase, um papel importante foi desempenhado pela solidariedade com a Venezuela em face das arrogantes decisões dos EUA de rotular a Venezuela como uma ameaça à sua política externa", completou o diplomata russo.

    Este ano, Washington impôs uma série de sanções contra funcionários venezuelanos, acusando-os de violar direitos humanos no país liderado pelo presidente Nicolás Maduro. O sucessor de Hugo Chávez, por sua vez, refuta todas as acusações e denuncia um esforço da Casa Branca para difamar e enfraquecer seu governo. 

    Bandeira da Venezuela
    © flickr.com/ Joseph Remedor
    De modo geral, os países latino-americanos têm unido vozes para exigir que o presidente dos EUA, Barack Obama, revogue imediatamente o decreto que, anunciado em março, ao lado das sanções, classifica a Venezuela como uma "ameaça incomum e extraordinária para a segurança nacional [dos EUA]".

    "A solidariedade demonstrada pelos membros da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), pelos membros da Aliança Bolivariana para as Américas (Alba), certamente contribuiu para o alívio das tensões nas relações entre Washington e Caracas", disse Lavrov, acrescentando que a Rússia felicita tal movimento. 

    "Nós apoiamos o grupo de países da Unasul, que gentilmente ofereceu seus serviços com a intenção de ajudar a normalizar a situação na Venezuela e manter o processo político no âmbito da Constituição existente", afirmou o chefe da diplomacia russa.

    Na última quinta-feira (16), Lavrov discursou na abertura de uma exposição comemorativa do aniversário de 70 anos do estabelecimento das relações diplomáticas entre a Rússia e os países da América Latina, e aproveitou a ocasião para reiterar os laços de amizade entre as duas regiões.

    "Hoje, o desenvolvimento dinâmico da cooperação entre os nossos países em vários campos prova que a distância não é um obstáculo para a cooperação. Os Estados latino-americanos são parceiros de confiança da Rússia na arena internacional. Nós valorizamos muito isso”, garantiu.

    Nesta segunda-feira, após o encontro com o chanceler do Chile, em Moscou, o ministro russo também afirmou que a Rússia espera assinar este ano um documento para estabelecer um mecanismo de diálogo político com a CELAC (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos).

    “Somos gratos ao Chile por apoiar o fortalecimento das relações entre os nossos países e os mecanismos de integração na América Latina, incluindo o estabelecimento do mecanismo de diálogo político e a cooperação no formato Rússia-CELAC", disse Lavrov, acrescentando que Moscou espera “assinar o documento pertinente este ano".

    Mais:

    EUA não conseguem minar relações entre Venezuela e Cuba
    Nicolás Maduro promete a cadeia para os “sabotadores” da Venezuela
    Aproximação dos EUA com Cuba é um contrapeso aos avanços russos na América Latina
    Argentina e Rússia planejam desenvolver projetos nucleares conjuntos na América Latina
    Tags:
    cooperação, Alba, Unasul, CELAC, Heraldo Muñoz, Hugo Chávez, Sergei Lavrov, Nicolás Maduro, Barack Obama, Chile, Venezuela, América Latina, EUA, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik