18:20 21 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Pyotr Poroshenko e a Guarda Nacional da Ucrânia

    Poroshenko envia Guarda Nacional para assegurar ordem pública em Dnepropetrovsk

    © Sputnik/ Nikolai Lazarenko
    Mundo
    URL curta
    0 1281107

    Dois batalhões da Guarda Nacional da Ucrânia foram enviados nesta segunda-feira, 23, para Dnepropetrovsk, a fim de garantir a ordem pública na cidade do sudoeste do país.

    A informação foi prestada pelo Twitter oficial da Guarda Nacional, seguindo uma determinação direta emitida pela presidente ucraniano Pyotr Poroshenko.

    Presidente da Ucrânia Pyotr Poroshenko
    © AP Photo/ Alexander Zemlianichenko
    A cidade de Dnepropetrovks tem sido protegida de forma autônoma pelo batalhão paramilitar Azov, formado e financiado pelo governador e oligarca local Igor Kolomoisky em resposta à criação de forças militares pelas autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk.

    As relações entre Poroshenko e Kolomoisky foram abaladas na semana passada por um incidente envolvendo a demissão do presidente da empresa UkrTransNafta, Aleksandr Lazorko, protegido de Kolomoisky.

    A UkrTransNafta é uma sociedade anônima aberta estabelecida pelo governo da Ucrânia em 2001 e responsável por gerir as operações de transporte de petróleo através da rede de gasodutos da Ucrânia.

    De acordo com a imprensa local, após a demissão de Lazorko, que teria sido iniciada pelo Ministério da Energia do país por motivos de má gestão, Kolomoisky compareceu ao escritório da UkrTransNafta para contestar a decisão acompanhado por seguranças armados com metralhadoras. Após deixar o prédio da empresa, ele teria igualmente insultado um jornalista presente no local.

    Na sexta-feira, 20, motivados pelo insulto à imprensa, deputados do parlamento ucraniano exigiram a demissão de Kolomoisky, e no sábado, 21, o Presidente Poroshenko apresentou uma acusação formal contra o governador.

    A ascensão política de bilionários ucranianos em consequência do conflito de Donbass tem sido diversas vezes assinalada por observadores, imprensa e políticos de diversos países. Destaca-se que os batalhões paramilitares financiados por oligarcas ucranianos recusam subordinação à Kiev e se consideram dispensados de cumprir a lei e os acordos internacionais, o que, por sua vez, demonstra a fraqueza e a falta de controle de Poroshenko como presidente da Ucrânia.

    Tags:
    Aleksandr Lazorko, Pyotr Poroshenko, Igor Kolomoisky, Ucrânia, Dnepropetrovsk
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik