05:15 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Medvedev na Arábia Saudita

    Moscou nega informações sobre conversações com Arábia Saudita

    Mundo
    URL curta
    0 242

    A Rússia nega que tenha falado com os sauditas para subir o preço do petróleo em troca do fim do apoio de Moscou a Bashar Assad.

    O New York Times havia informado que a Arábia Saudita poderia baixar a produção de petróleo, fazendo subir os preços, se as autoridades russas deixarem de apoiar o governo sírio, liderado por Bashar Assad. A liderança da Arábia Saudita nos últimos meses teria realizado uma série de conversações com a Rússia sobre esta questão, mas não teria sido alcançado “progresso significativo". 

    Ao mesmo tempo, acrescenta o jornal, as autoridades sauditas não disseram de que forma os representantes da Arábia Saudita relacionaram durante as conversações o tema da produção de petróleo com a solução do problema sírio e o apoio a Damasco. 

    O presidente do Comitê Internacional da Duma de Estado e chefe da delegação russa na APCE, Aleksei Pushkov, escreveu na sua conta no Twitter que tais conversações não ocorreram.

    "O The New York Times tem distorcido as informações muitas vezes, especialmente desde que a crise ucraniana começou. Eu não aconselharia a tomá-lo como uma fonte credível. Não houve conversações sobre tal troca", disse o oficial à rádio RSN.

    Ele acrescentou que a delegação russa, chefiada pelo primeiro-ministro Dmitry Medvedev, que visitou a Arábia Saudita aquando do funeral do falecido rei Abdullah, discutiu questões relacionadas com o petróleo, mas não houve quaisquer “propostas obscuras”.

    "Discutimos o petróleo, os preços, a coordenação entre os membros da OPEP e não membros. As conversações foram positivas e construtivas. Não se falou da Síria", disse Pushkov.

    Esta informação do jornal também foi negada pelo porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, que lhe chamou de "nada mais que especulação no papel".

    Tags:
    petróleo, OPEP, APCE, Dmitry Medvedev, Aleksei Pushkov, Dmitry Peskov, Bashar Assad, Arábia Saudita, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik