19:12 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    • Enxame de gafanhotos do deserto voando perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 31 de janeiro de 2021
    • Homem tenta afastar enxame de gafanhotos do deserto de uma fazenda, perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 1º de fevereiro de 2021
    • Gafanhoto pousado na camisa de um homem perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 3 de fevereiro de 2021
    • Gafanhotos do deserto voam junto de um antílope perto da cidade de Nanyuki, Quênia, 31 de janeiro de 2021
    • Gafanhotos do deserto descansam em galhos de árvores perto da cidade de Nanyuki, Quênia, 31 de janeiro de 2021
    • Galinha se alimenta de gafanhotos do deserto esmagados em uma fazenda perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 3 de fevereiro de 2021
    • Gafanhotos do deserto capturados durante colheita dentro de um saco perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 1º de fevereiro de 2021
    • Homem andando de motocicleta passando por enxame de gafanhotos do deserto perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 1º de fevereiro de 2021
    • Gerente de laboratório segura prato contendo gafanhotos do deserto terrestre no laboratório Spectralab, em Nairóbi, Quênia, 16 de fevereiro de 2021
    • Criança tenta afugentar enxame de gafanhotos do deserto em Naiperere, Quênia, 30 de janeiro de 2021
    • Gafanhotos do deserto voam perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 1º de fevereiro de 2021
    • Homem colhe gafanhotos do deserto perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 1º de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Baz Ratner
    Enxame de gafanhotos do deserto voando perto da cidade de Rumuruti, Quênia, 31 de janeiro de 2021.

    O país africano sofre a maior invasão de gafanhotos em 70 anos, provocada por ciclones na Somália e Etiópia, bem como chuvas no próprio Quênia.

    O Quênia foi atingido pela pior invasão de gafanhotos nos últimos 70 anos, levando à maior ameaça de fome no Leste de África.

    Toda a região do Chifre da África está atravessando a maior ameaça à segurança alimentar nos últimos 25 anos, provocada no Quênia, por chuva inesperada e imprevisível no norte do país que favoreceu a propagação dos insetos, bem como por um ciclone na Somália e Etiópia.

    "Na pior das hipóteses", a invasão pode se tornar uma praga. Já há 19 milhões de pessoas no Leste da África com insegurança alimentar, e os insetos podem devorar o equivalente a metade de alimento consumido pela França se não forem contidos rapidamente, informou a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) em um comunicado.

    Por causa disso, a FAO elevou a situação ao mais alto nível de desastre, e propôs um plano de seis meses para gastar US$ 70 milhões (cerca de R$ 380,9 milhões) para conter os enxames de gafanhotos na região.

    Mais:

    Argentina detecta nova presença de nuvem de gafanhotos perto do Brasil (VÍDEO)
    Descoberta arma para combater nuvem de gafanhotos, garantem cientistas
    É 'quase impossível' combater nuvem de gafanhotos sem agressão ambiental, diz especialista
    Nuvens de gafanhotos demoram meses para se dispersar naturalmente, diz biólogo
    Tags:
    Quênia, Chifre da África, Somália, Etiópia, FAO
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar

    Mais fotos