13:25 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0 283
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta quarta-feira (2), marcada pelo contrato com a AstraZeneca que permite a produção de uma vacina totalmente brasileira, pela votação do novo presidente de Israel e pelo início do Fórum Econômico Internacional na Rússia.

    'Vacina 100% nacional': AstraZeneca transfere tecnologia de produção do IFA à Fiocruz

    Nesta terça-feira (1º), a Fiocruz assinou com a farmacêutica AstraZeneca o contrato que transfere a tecnologia do imunizante contra a COVID-19 para produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) no país. Essa tecnologia permite produzir uma vacina totalmente nacional. De acordo com a presidente da fundação, Nísia Trindade Lima, a fabricação do IFA se inicia agora, no mês de junho. Assim, se espera que as primeiras doses 100% brasileiras estejam disponíveis em outubro, segundo o portal G1. Além disso, no mesmo dia, o Brasil recebeu mais 936 mil doses da vacina da Pfizer/BioNTech. Está previsto que nesta semana a farmacêutica entregue no total 2,4 milhões de doses. O país confirmou mais 2.346 mortes e 77.898 casos de COVID-19, totalizando 465.312 óbitos e 6.625.572 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Presidente Jair Bolsonaro após cerimônia de assinatura do contrato de transferência de tecnologia de produção de vacinas com a AstraZeneca, Brasília, 1º de junho de 2021
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Presidente Jair Bolsonaro após cerimônia de assinatura do contrato de transferência de tecnologia de produção de vacinas com a AstraZeneca, Brasília, 1º de junho de 2021

    Copa América confirmada no Brasil por Bolsonaro

    Nesta terça-feira (1º), o presidente Jair Bolsonaro confirmou que o Brasil sediará a Copa América neste ano, prevista para acontecer entre 11 de junho e 10 de julho. O governo federal anunciou quatro sedes para receber os jogos: Distrito Federal, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás. O presidente também informou que deve haver mais um estado, mas que esse será confirmado mais tarde. A decisão gerou críticas em razão da pandemia, que já deixou centenas de milhares de mortes. O evento esportivo é considerado um risco sanitário com a chegada de turistas de países vizinhos. O anúncio pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) de que o Brasil será a sede do torneio foi feito em 31 de maio, após a Argentina ter resolvido renunciar à organização da competição devido ao surto de casos da COVID-19 no país.

    Diretor da Conmebol, Frederico Nantes, mostra cartão com inscrição Santos, Paraguai, 1º de junho de 2021
    LUIS VERA
    Diretor da Conmebol, Frederico Nantes, mostra cartão com inscrição Santos, Paraguai, 1º de junho de 2021

    Administração Biden termina formalmente política migratória da era Trump

    Nesta terça-feira (1º), a administração Biden terminou formalmente o programa Protocolos de Proteção de Migrantes (MPP, na sigla em inglês) da era Trump. O secretário de Segurança Interna dos EUA, Alejandro Mayorkas, anunciou em memorando ter ordenado "aos funcionários do Departamento de Segurança Interna que tomem todas as medidas apropriadas para terminar o MPP", o programa conhecido também como a "Política Fique no México" (Remain in Mexico policy). De acordo com a MPP, milhares de migrantes em busca de refúgio principalmente da América Central foram forçados a esperar no México até que seus procedimentos judiciais de imigração fossem concluídos nos EUA. O presidente Joe Biden interrompeu o programa através de uma ordem executiva logo após assumir o cargo em 20 de janeiro.

    Jovens mexicanos do chamado grupo de autodefesa eleitoral Mastines (Mastiffs), supostamente formado para evitar patrocínio, ameaças, ataques e até mesmo irregularidades durante eleições intercalares na Cidade do México , 1º de junho de 2021
    © AFP 2021 / Alfredo Estrella
    Jovens mexicanos do chamado grupo de autodefesa eleitoral Mastines (Mastiffs), supostamente formado para evitar patrocínio, ameaças, ataques e até mesmo irregularidades durante eleições intercalares na Cidade do México , 1º de junho de 2021

    Knesset vai votar para novo presidente de Israel

    Nesta quarta-feira (2), os 120 membros do parlamento israelense determinarão o nome do novo presidente do país, já que o mandato do atual presidente de Israel, Reuven Rivlin, expirou. Agora, os legisladores israelenses devem eleger o novo chefe de Estado, mas esse cargo é em grande parte simbólico, com muito pouca influência na política interna e externa. Mesmo assim, há dois candidatos para a posição. O primeiro é Yitzhak Buji Herzog, o filho do sexto presidente de Israel, com uma vasta carreira política, tendo ocupado vários cargos ministeriais de 2003 a 2018. A segunda é Miriam Peretz, uma mulher sem nenhum historial político. A única questão é se os legisladores do país serão capazes de aceitar sua candidatura. Basta lembrar que todos os dez presidentes de Israel foram homens. Para se tornar presidente, um candidato precisa do apoio de 61 membros do Knesset.

    Ayelet Shaked e Naftali Bennett, parlamentares do partido israelense Yamina, conversam durante a sessão especial no Knesset dedicada à eleição do novo presidente de Israel, 2 de junho de 2021
    © REUTERS / Ronen Zvulun
    Ayelet Shaked e Naftali Bennett, parlamentares do partido israelense Yamina, conversam durante a sessão especial no Knesset dedicada à eleição do novo presidente de Israel, 2 de junho de 2021

    Fórum Econômico Internacional começa em São Petersburgo

    Nesta quarta-feira (2), começa na Rússia o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF, na sigla em inglês), o evento anual de negócios da Rússia. O fórum durará até 5 de junho, reunindo milhares de representantes empresariais. O presidente russo, Vladimir Putin, participará da sessão plenária do SPIEF nesta sexta-feira (4). O Fórum é o primeiro evento desta magnitude desde o início da pandemia da COVID-19 de que o presidente russo participará no formato presencial. Representantes de alto nível do Irã, México, República Centro-Africana, Áustria e Qatar, bem como o presidente do Fórum Econômico Mundial, Borge Brende, são esperados para assistir ao SPIEF. O fórum será realizado na estrita observância das medidas de segurança contra o coronavírus, tendo em conta as exigências da OMS.

    Participantes do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, Rússia, 2 de junho de 2021
    © Sputnik / Yevgeny Biyatov
    Participantes do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, Rússia, 2 de junho de 2021

    Sudão revisa acordo de projeto militar russo no mar Vermelho

    O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas do Sudão, Mohamed Osman al Hussein, declarou nesta quarta-feira (2), que o país está revisando o acordo do projeto militar russo no mar Vermelho. Se trata da criação de uma base militar russa no mar Vermelho. "Pode-se manter o acordo se houver benefícios para nosso país", disse o militar em entrevista transmitida pelo canal de televisão Blue Nile TV. Segundo ele, o acordo deve ser aprovado pelo Conselho Legislativo sudanês. O acordo sobre a implantação de um posto técnico e logístico para a Marinha russa no Sudão foi assinado em 23 de julho de 2019 em Jartum e no dia 1º do dezembro de 2020 em Moscou. No final de abril, foi revelado que o Sudão suspendeu o acordo.

    Mais:

    Maior navio da Marinha do Irã afunda após ficar em chamas no golfo de Omã (VÍDEO, FOTOS)
    Malásia denuncia 'intrusão' após interceptar 16 aviões militares chineses no mar do Sul da China
    Netanyahu declara que não permitirá avanço nuclear iraniano, mesmo que isso 'afete’ relações com EUA
    Tags:
    Reuven Rivlin, presidente, knesset, Mar Vermelho, Sudão, Fórum Econômico de São Petersburgo, COVID-19, Brasil, copa américa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar