14:25 18 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1232
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais importantes desta quinta-feira (8), marcada pelos leilões de ativos públicos na Bolsa de Valores de São Paulo, pela retomada de ajuda dos EUA à Palestina e pela declaração de Bolsonaro sobre o uso político da pandemia de COVID-19 "para derrubar o presidente".

    Não adianta 'chorar o leite derramado', diz presidente sobre mortes

    Nesta quarta-feira (7), o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, comentou o aumento do número de mortes por COVID-19 no país, dizendo que não adianta "chorar o leite derramado". "Estamos passando ainda por uma pandemia que, em parte, é usada politicamente. Não para derrotar o vírus, mas para tentar derrubar o presidente. Todos nós somos responsáveis pelo que acontece no Brasil. Em qual país do mundo não morre gente?", disse o presidente durante visita a Foz do Iguaçu. Demógrafos apontam que o número de mortos se aproxima do número de nascimentos em estados como São Paulo. No mês de abril, as mortes poderão superar os nascimentos nacionalmente, reportou o portal UOL. O Brasil registrou mais 3.733 mortes e 90.973 casos de COVID-19, totalizando 341.097 óbitos e 13.197.031 diagnósticos da doença, informou consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Homenagem às vítimas da COVID-19 durante protesto contra a resposta do governo à pandemia em Brasília, 7 de abril de 2021
    © REUTERS / Adriano Machado
    Homenagem às vítimas da COVID-19 durante protesto contra a resposta do governo à pandemia em Brasília, 7 de abril de 2021

    Governo acelera leilões de ativos públicos na 'Infra Week'

    Nesta quinta-feira (8), o governo federal deve leiloar trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, entre Caetité e Ilhéus, na Bahia. O leilão é organizado pelo governo na Bolsa de Valores de São Paulo como parte da chamada "Infra Week". O Palácio do Planalto estima investimentos de R$ 3,3 bilhões na concessão, que deve ser cedida por um período de 35 anos. O primeiro dia de leilões, celebrado nesta quarta-feira (7), terminou com a concessão de 22 aeroportos à iniciativa privada. O governo federal arrecadou cerca de R$ 3,3 bilhões com a ação, e obteve garantia de investimentos de cerca de R$ 6,1 bilhões em 30 anos. De acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, os leilões são "uma vitória importante para todo o país".

    Prédio da Bolsa de Valores de São Paulo, B3, no centro da capital paulista, 7 de abril de 2021
    © Folhapress / Renato S. Cerqueira
    Prédio da Bolsa de Valores de São Paulo, B3, no centro da capital paulista, 7 de abril de 2021

    Departamento de Justiça dos EUA quer regular 'armas fantasmas'

    Nesta quarta-feira (7), a Casa Branca informou que o Departamento de Justiça dos EUA terá 30 dias para apresentar projeto para conter a propagação de "armas fantasmas" no país. "Estamos lidando com um problema que se agrava: criminosos compram kits contendo praticamente todos os componentes [...] e montam armas em somente 30 minutos. Essas armas são usadas para cometer crimes", versa declaração do executivo dos EUA. As "armas fantasmas" não teriam número de série, por isso não podem ser rastreadas pelos órgãos da Justiça do país. A legislação do Departamento de Justiça será a primeira resposta da administração Biden ao aumento do número de atentados com armas de fogo nos EUA.

    Vendedora mostra armas em loja especializada na Cidade de Jersey, no estado norte-americano de Nova Jersey, EUA, 25 de maio de 2021
    © AFP 2021 / Spencer Platt
    Vendedora mostra armas em loja especializada na Cidade de Jersey, no estado norte-americano de Nova Jersey, EUA, 25 de maio de 2021

    EUA retomam ajuda financeira à Palestina e reafirmam solução de 2 estados

    Nesta quarta-feira (7), a administração Biden anunciou a retomada dos repasses de US$ 235 milhões (cerca de R$ 1,3 bilhão) em ajuda aos palestinos e reiterou seu comprometimento com a solução de dois estados. O montante será repassado à Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina e do Oriente Próximo (UNRWA, na sigla em inglês), revertendo política adotada pelo ex-presidente, Donald Trump. A agência "promove alívio fundamental para pessoas passando necessidades consideráveis, promove o desenvolvimento econômico e o entendimento israelo-palestino", disse o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken. Para o embaixador israelense em Washington, Gilad Erdan, a UNRWA "não deveria existir no formato atual" e deve rever "conteúdo antissemita" em seu material didático. O porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, acolheu a retomada da assistência dos EUA, qualificada pelo ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, como um "sinal positivo".

    Palestinos recebem alimentos doados pela Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina e do Oriente Próximo (UNRWA, na sigla em inglês), no campo de refugiados de Beach, Cidade de Gaza, 7 de abril de 2021
    © REUTERS / Mohammed Salem
    Palestinos recebem alimentos doados pela Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina e do Oriente Próximo (UNRWA, na sigla em inglês), no campo de refugiados de Beach, Cidade de Gaza, 7 de abril de 2021

    Líderes africanos se reúnem para debater jihad em Moçambique

    Nesta quinta-feira (8), líderes da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês) devem se reunir para debater o avanço do terrorismo em Moçambique. No dia 24 de março, grupo ligado ao Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e demais países) ocupou a cidade portuária de Palma, no norte do país africano. O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, falou pela primeira vez sobre as operações para retomar a cidade, dizendo que os jihadistas foram expulsos da região. "Não pretendemos proclamar vitória, porque estamos lutando contra o terrorismo". Nyusi lembrou da necessidade de proteger a soberania de Moçambique ao aceitar ajuda internacional para combater o grupo. "Não é orgulho vazio, é sentido de soberania", afirmou o presidente.

    Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, durante encontro com seu homólogo russo, Vladimir Putin, Moscou, Rússia, 9 de agosto de 2019 (foto de arquivo)
    © Sputnik / Alexei Nikolsky
    Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, durante encontro com seu homólogo russo, Vladimir Putin, Moscou, Rússia, 9 de agosto de 2019 (foto de arquivo)

    Quatro soldados sírios feridos após ataque israelense próximo a Damasco, diz Exército

    Nesta quinta-feira (8), quatro soldados sírios ficaram feridos após ataque israelense ao subúrbio de Damasco, informou o Exército do país árabe, conforme reportou a agência de notícias SANA. Os ataques aéreos teriam sido realizados a partir do espaço aéreo libanês e das Colinas de Golã. O sistema de defesa do país teria "interceptado a maioria dos mísseis" disparados, informa a declaração. Além dos quatro soldados feridos, o ataque teria provocado danos materiais. Desde o início do conflito sírio, em 2011, Israel realiza ataques frequentes ao território do país árabe, alegando a necessidade de conter a atuação de milícias iranianas e o grupo libanês Hezbollah. Os ataques, no entanto, são raramente confirmados pelas Forças de Defesa de Israel (FDI).

    Mais:

    Conversa de Bolsonaro e Putin indica que Brasil possa ter mudado política externa, dizem analistas
    Kim Jong-un diz que Coreia do Norte enfrenta 'pior situação de todas', afirma mídia
    'Orçamento não deve ser sancionado, ou Bolsonaro poderá sofrer um impeachment', alerta economista
    Tags:
    Síria, UNRWA, armas de fogo, privatizações, COVID-19, pandemia, EUA, Brasil, Israel, Palestina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar