21:01 07 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Situação da COVID-19 em meados de abril no mundo (75)
    2150
    Nos siga no

    Empresa sediada em Sintra seria uma das 11 empresas identificadas pelo governo português como capazes de contribuir para aumentar a quantidade de vacinas fabricadas na União Europeia.

    Portugal pode em breve começar a produzir a vacina russa Sputnik V contra a COVID-19, ou pelo menos alguns componentes dessa vacina, relata o jornal Público nesta sexta-feira (16). O presidente da Câmara Municipal de Cascais (que equivale a Prefeitura no Brasil), Carlos Carreiras, foi o intermediário entre o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) e o governo de Portugal. As negociações envolveram ainda a empresa Hikma, com sede em Sintra, Portugal.

    "[A Hikma está] disponível para vir a fazer parte da solução e ajudar Portugal se for essa a vontade do governo português e obtiver as devidas licenças do Infarmed [agência reguladora de medicamentos de Portugal], afirmou à mídia o diretor-geral da Hikma, Riad Mishlawi.

    A Hikma investiu 30 milhões de euros (aproximadamente R$ 202 milhões) na expansão da fábrica de Sintra em 2019 e seria uma das 11 empresas identificadas pelo governo português como capazes de contribuir para aumentar a quantidade de vacinas fabricadas na União Europeia, relata a mídia.

    O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, comentou a iniciativa do presidente da Câmara de Cascais: "Por nós, isso não tem problema nenhum, desde que a vacina tenha licença da União Europeia e o local de produção também esteja licenciado. É um ótimo desafio para a indústria portuguesa", disse o primeiro-ministro.

    Vacinação contra COVID-19 com a vacina russa Sputnik V
    © Sputnik / Timur Batirshin
    Vacinação contra COVID-19 com a vacina russa Sputnik V

    Sputnik e a União Europeia

    Embora a Sputnik V ainda não tenha sido autorizada pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês), a Alemanha iniciou negociações bilaterais com a Rússia para discutir a aquisição de doses da vacina e o premiê da Itália já afirmou que quer a Sputnik V no país mesmo sem autorização da Comissão Europeia.

    Por sua vez, a Áustria vai encomendar um milhão de doses da vacina russa, com entregas entre abril e início de junho, disse o chanceler Sebastian Kurz recentemente.

    A vacina Sputnik V já foi aprovada em 60 países. O imunizante russo ocupa o segundo lugar no mundo em termos de número de aprovações recebidas por reguladores governamentais. A eficácia da vacina em 91,6% foi confirmada pela publicação de dados da prestigiada revista científica The Lancet.

    Tema:
    Situação da COVID-19 em meados de abril no mundo (75)

    Mais:

    Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, é diagnosticado com COVID-19 pela 2ª vez
    Médicos de Goiânia são pressionados a receitar 'kit COVID-19', diz jornal
    MSF: Brasil vive 'catástrofe humanitária' por falha na resposta à COVID-19
    Vacina Sputnik V pode proteger animais da COVID-19, afirma desenvolvedor
    Tags:
    Cascais, Agência Europeia de Medicamentos, Alemanha, Rússia, vacinação, vacina, vacina, Portugal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar