23:10 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)
    1140
    Nos siga no

    Após uma série de países suspenderem o uso da vacina da AstraZeneca devido a preocupações com a coagulação do sangue pós-inoculação, a Alemanha incorpora a crescente lista.

    Nesta segunda-feira (15), Berlim se juntou à Áustria, Dinamarca, Irlanda, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos e outras nações ao parar o uso da AstraZeneca, após cerca de trinta casos de coágulos sanguíneos pós-aplicação da vacina e uma morte por trombose em paciente vacinado.

    O Ministério da Saúde alemão disse que a decisão foi tomada como uma "precaução" e que o conselho regulador nacional de vacinas, o Instituto Paul Ehrlich, pediu uma investigação mais aprofundada dos casos.

    No entanto, a Comissão Europeia confia na opinião de especialistas da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) para avaliarem a segurança da vacina Oxford/AstraZeneca, e apela ao cumprimento das recomendações do regulador europeu sobre o medicamento.

    "Quando se trata de monitorar o uso de vacinas, obviamente dependemos muito da abordagem científica e do trabalho de nossos colegas cientistas da EMA, que avaliam a segurança e a eficácia da vacina não apenas no contexto da autorização, mas também no contexto do monitoramento após sua autorização e distribuição", disse à imprensa o porta-voz para Saúde, Segurança Alimentar e Transporte da Comissão Europeia, Stefan De Keersmaecker.

    A AstraZeneca se defendeu observando que o número de casos de trombos em pessoas inoculadas com a medicação é "significativamente menor do que o esperado".

    Neste domingo (14), a farmacêutica informou que fez uma revisão de pessoas imunizadas com a medicação abrangendo mais de 17 milhões de vacinados, e que a análise não apresentou nenhuma evidência no aumento do risco de coágulos sanguíneos.

    Alguns especialistas apontam que pelo fato de as campanhas de vacinação estarem sendo realizadas primeiro em indivíduos mais vulneráveis, é muito provável que essas pessoas já sofram de doenças anteriores e, portanto, é difícil verificar se a vacina é responsável por algo que aconteça posteriormente. 

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)

    Mais:

    Irlanda suspende uso da vacina da AstraZeneca contra a COVID-19
    Dinamarca interrompe vacinação com imunizante da AstraZeneca após relato de trombose
    Sputnik V no Brasil: Ministério da Saúde anuncia compra de 10 milhões de doses
    Tags:
    novo coronavírus, Alemanha, vacinação, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar