21:48 28 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    241
    Nos siga no

    A polícia de Londres entrou em confronto com manifestantes que tomaram as ruas da cidade neste sábado (13) para protestar contra a morte da executiva de marketing Sarah Everard, de 33 anos, assassinada supostamente por um policial na última semana.

    Everard desapareceu na noite do último dia 3, quando voltava para casa após visitar uma amiga. Na última sexta-feira (12), a Scotland Yard confirmou a identificação do corpo da vítima, encontrado em uma floresta da cidade de Ashford, condado de Kent, dois dias antes.

    Embora a causa da morte ainda não tenha sido divulgada, o suposto autor do feminicídio já teria sido encontrado. Trata-se do policial Wayne Couzens, de 48 anos, que se apresentou pela primeira vez diante de um tribunal da capital britânica nesta manhã. 

    Ao longo do dia, um memorial improvisado com flores e velas foi instalado no sudoeste de Londres, perto de onde Sarah Everard foi vista viva pela última vez. A duquesa de Cambridge, Kate Middleton, foi uma das cerca de 1.000 pessoas que se dirigiram ao local para prestar suas homenagens e protestar contra o crime e a falta de segurança para mulheres na cidade, segundo a Reuters.

    Por conta das restrições relacionadas ao surto do novo coronavírus, o ato foi considerado ilegal pelas autoridades, o que levou a um aumento das tensões e enfrentamentos entre policiais e manifestantes. Algumas pessoas acabaram detidas.

    Mais:

    Uma pessoa morre durante protesto de estudantes na África do Sul
    Protestos no Paraguai: manifestantes pedem renúncia do presidente
    Mianmar: 3 manifestantes morrem em protestos e trabalhadores fazem paralisação
    Tags:
    COVID-19, assassinato, feminicídio, polícia, Kent, Inglaterra, Londres, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar