23:36 26 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2370
    Nos siga no

    O consórcio Nord Stream AG concluiu a instalação da tubulação para o Nord Stream 2 na zona econômica exclusiva da Alemanha. Com isso, o projeto está próximo de ser concluído, informou o veículo alemão Der Spiegel.

    A construção de 2,6 quilômetros de comprimento do gasoduto começou no início de dezembro na Zona Econômica Exclusiva alemã, depois que Berlim autorizou a sequência dos planos.

    Ainda não foram instalados os últimos quilômetros do gasoduto, que deverão compreender principalmente águas dinamarquesas. As obras na região estão previstas para janeiro de 2021, segundo o veículo alemão Der Spiegel.

    Até o momento, nenhum dos participantes do Nord Stream 2 abandonou o projeto, apesar da pressão norte-americana.

    Gasoduto russo
    © Sputnik / Sergei Guneev
    Gasoduto russo

    O gasoduto Nord Stream 2, impulsionado por uma aliança de empresas da Rússia, Alemanha, Áustria, França e Países Baixos, será conectado aos dois primeiros países pelo fundo do mar Báltico.

    A construção foi suspensa em dezembro de 2019 depois que Washington ameaçou com sanções a empresa suíça Allseas, que realiza as obras.

    No início do mês passado, a Câmara dos Representantes e o Senado dos EUA decidiram impor sanções contra o Nord Stream 2 no orçamento de defesa a partir do ano fiscal de 2021.

    As restrições às empresas de seguros e de certificação que ajudam a Rússia a completar a construção do gasoduto foram estabelecidas na Lei de Defesa Nacional de 2021, cuja aprovação está prevista para o final deste ano.

    Mais:

    Alemanha considera sancionar senadores dos EUA em resposta às ameaças contra Nord Stream 2
    Berlim não exclui impor taxas ao gás dos EUA caso Washington continue a pressionar Nord Stream 2
    Nord Stream 2 será finalizado apesar da pressão dos EUA, afirma MRE da Rússia
    Tags:
    Nord Stream, Nord Stream 2, oleoduto, gás, Rússia, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar