13:58 24 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    637
    Nos siga no

    Em entrevista recente, Svetlana Tikhanovskaya mostrou frustração com a resposta europeia à crise na Bielorrússia.

    A líder opositora da Bielorrússia, Svetlana Tikhanovskaya, recebeu da União Europeia o Prêmio Sakharov nesta quarta-feira (16). Tikhanovskaya vive na Lituânia e é a principal líder de oposição ao presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko.

    "Os bielorrussos foram homenageados com o Prêmio Sakharov de Liberdade de Pensamento. O que é um melhor reconhecimento de que somos livres pensadores? Qual é a melhor motivação para continuarmos? Temos que vencer, e vamos vencer", disse Tikhanovskaya ao Parlamento Europeu, ao receber o prêmio.

    O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, reconheceu a "força, resistência e coragem" de Tikhanovskaya, destacando que sua "determinação de viver em um país democrático" é inspiradora.

    "Nós te apoiamos em sua luta. [...] Acordamos e não vamos voltar a dormir", disse Sassoli.

    O Prêmio Sakharov é, segundo a União Europeia, um reconhecimento "ao trabalho de direitos humanos" e é conferido a "indivíduos, grupos e organizações que deram contribuição notável para proteger a liberdade de pensamento".

    Opositora e candidata à presidência da Bielorrússia Svetlana Tikhanovskaya em coletiva de imprensa em Minsk
    © Sputnik / Viktor Tolochko
    Opositora e candidata à presidência da Bielorrússia Svetlana Tikhanovskaya em coletiva de imprensa em Minsk

    "Não há nada que realmente possam fazer", disse Tikhanovskaya, sobre a Europa

    Em entrevista à revista The New Yorker, publicada no ultimo domingo (13), Tikhanovskaya, mostrou frustração com a resposta europeia à crise na Bielorrússia. "Eu achava que a Europa estava tão perto e era tão grande, que seus líderes eram tão poderosos, que com certeza fariam algo", relatou Tikhanovskaya. "Agora eu vejo que, apesar de eles expressarem sua preocupação e solidariedade, não há nada que realmente possam fazer."

    Tikhanovskaya deixou a Bielorrússia após as eleições presidenciais de 9 de agosto, que desencadearam crise política no país.

    Mais:

    Kremlin: recusa da Europa em reconhecer Lukashenko vai contra o direito internacional
    Biden pede que comunidade internacional amplie sanções contra círculo de Lukashenko
    União Europeia impõe sanções a Lukashenko e mais 14 funcionários da Bielorrússia
    EUA têm centros especiais na Ucrânia e Polônia coordenando protestos na Bielorrússia, diz Lukashenko
    Tags:
    opositor, oposição, União Europeia, Alexander Lukashenko, Bielorússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar