15:58 18 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    3153
    Nos siga no

    Os detritos espaciais que orbitam a Terra sugerem grande ameaça para funcionamento de satélites e da Estação Espacial Internacional (EEI).

    A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira (26) a assinatura de contrato de US$ 102 milhões (R$ 543 milhões na cotação atual) com a startup suíça ClearSpace SA para trazer de volta para a Terra um grande volume de lixo espacial, informa a agência Reuters.

    A ESA afirmou que a "primeira missão ativa de remoção de lixo" com a empresa suíça ocorrerá em 2025, quando uma nave espacial feita sob encomenda capturará e derrubará parte do foguete utilizado para colocar um satélite em órbita.

    Especialistas alertam há muito tempo que centenas de milhares de pedaços de lixo espacial orbitam o planeta, inclusive o espelho perdido de um astronauta, representando uma ameaça para o funcionamento de satélites e até mesmo à EEI.

    Várias equipes estão elaborando maneiras para resolver o problema.

    O objeto que será removido da órbita é chamado adaptador de carga útil Vespa, que foi usado para segurar e depois lançar um satélite em 2013. O objeto pesa cerca de 112 quilos.

    Mais:

    China lança para órbita 1º satélite 6G do mundo, afirma mídia (VÍDEO)
    Investigação conclui o que causou falha no foguete espacial Vega da ESA
    Empresa privada da China coloca satélite em órbita pela 1ª vez desde o início da pandemia (VÍDEO)
    Tags:
    satélite, Europa, lixo espacial, lixo, espaço
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar