23:44 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    7883
    Nos siga no

    Mídia britânica relata um aumento da atividade de submarinos russos entre a Groenlândia, a Islândia e o Reino Unido. Militares britânicos afirmam que os submarinos transitam sem serem detectados.

    O número de submarinos russos operando no Atlântico Norte aumentou excessivamente, segundo um artigo do tabloide britânico Daily Mail.

    De acordo com a publicação, fontes navais reportaram avistamento de submarinos nucleares multiuso russos de baixa visibilidade do projeto 971, ou classe Akula, segundo a classificação da OTAN.

    "O número de submarinos russos entrando no Atlântico Norte é esmagador", diz o Daily Mail citando uma fonte da Marinha britânica. "O jogo de guerra e as manobras nunca foram tão intensas."

    A Rússia começou a enviar dois ou três submarinos ao invés de um, como era anteriormente, para a área de operações da Marinha Britânica, no espaço marítimo entre a Groenlândia, a Islândia e o Reino Unido, disse a fonte. Que ainda adicionou: "A situação é grave."

    "De forma alarmante, a última geração de submarinos russos pode aparentemente passar pela lacuna sem ser detectada antes de seguir em direção à Grã-Bretanha", constata o tabloide.

    Em julho, o jornal Wall Street Journal, citando representantes da OTAN e especialistas militares, relatou que a Rússia estava agora implantando mais submarinos durante mais tempo em áreas do oceano Atlântico, onde eles poderiam representar uma ameaça aos navios de guerra da OTAN e à importante infraestrutura dos EUA.

    Mais:

    Marinha dos EUA tenta se preparar para uma Rússia mais fortalecida no Atlântico
    Rússia reforçará capacidades da Frota do Norte com 179 novos armamentos
    Submarinos e navios da OTAN iniciam manobras de guerra subaquática no Atlântico Norte (FOTOS)
    Tags:
    Marinha da Rússia, Rússia, Daily Mail, The Wall Street Journal, Wall Street Journal, Reino Unido, Grã-Bretanha, Islândia, Groenlândia, Atlântico Norte, Atlântico, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar