04:08 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)
    150
    Nos siga no

    A Alemanha tem neste momento aparelhos para respiração artificial suficientes para pacientes com complicações respiratórias em estado grave. Mas um plano B está sendo desenhado, caso Berlim precise de mais aparelhos com urgência.

    Pesquisadores de Giessen e Marburg apresentaram na semana passada dois novos estudos para renovar a tecnologia nesta área.

    Por enquanto, a Alemanha está lidando relativamente bem com seus pacientes infectados pelo coronavírus. Mas em caso de aumento exponencial de seu número a situação pode mudar, e equipamentos para respiração artificial poderão ser necessários.

    Neste caso, pesquisadores da Universidade Philipps de Marburg e do Hospital Universitário de Giessen e Marburg desenvolveram um novo método para ajudar o país nessa emergência.

    Os paramédicos Jochen e Julia verificam o equipamento de uma ambulância antes do início do seu turno, à medida que a propagação da doença COVID-19 continua, Worms, Alemanha, 24 de março de 2020 (imagem referencial)
    © REUTERS / Hannibal Hanschke
    Paramédicos verificam o equipamento de uma ambulância na Alemanha em meio ao coronavírus (imagem referencial)

    Muitos alemães sofrem de apneia, que consiste em pausa involuntária na respiração durante o sono. Essa condição piora a qualidade do sono e tem consequências negativas para a saúde.

    Essa e outras doenças do trato respiratório são tratadas com auxílio de compressores de ar, os quais os pesquisadores conseguiram acoplar em equipamentos de respiração artificial.

    "Para usar esses compressores durante a respiração artificial, é necessário um módulo que periodicamente interrompa o fluxo de ar. Quando esse movimento intermitente ocorre, o ar sai e o pulmão infla novamente", explicou o pesquisador Johnny Nguyen à Sputnik Alemanha.

    "Nosso objetivo é disponibilizar os planos do módulo na Internet. Assim, as pessoas podem simplesmente baixar o programa e imprimi-lo em uma impressora 3D", acrescentou o pesquisador. "Depois só faltará montar as peças separadas e o equipamento estará pronto."

    Impressora 3D produz protótipo da Casa Branca, sede do governo dos EUA, durante exposição na Alemanha (foto de arquivo)
    © AP Photo / Jens Meyer
    Impressora 3D produz protótipo da Casa Branca, sede do governo dos EUA, durante exposição na Alemanha (foto de arquivo)

    Na Alemanha existem cerca de 2,5 milhões desses dispositivos, inclusive os disponíveis no mercado. "Graças à nossa ideia, seria possível usar esses dispositivos e tratar um determinado grupo de pacientes", disse Nguyen.

    A Alemanha é um dos países mais afetados do mundo pela COVID-19, mas destaca-se pela baixa taxa de letalidade da doença: com 62.435 casos confirmados, o número de mortes não ultrapassa as 560.

    Tema:
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)

    Mais:

    Rússia tem 3 medicamentos potencialmente eficazes no tratamento da COVID-19
    Epidemiologista que previu pandemia diz como acabar com COVID-19
    Italianos queimam bandeiras da UE em sinal de protesto em meio à pandemia da COVID-19 (VÍDEOS)
    Tags:
    impressora 3D, COVID-19, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar